Imagem: Reprodução

Xi Jinping defende o multilateralismo e chama atenção para uma “guerra fria 2.0”

O presidente chinês, Xi Jinping participou do diálogo "Agenda de Davos" do Fórum Econômico Mundial em Pequim na noite do dia 25 e enfatizou que a solução para os problemas desta era é manter e praticar o multilateralismo e promover a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade

Por Guilherme Campbell

O presidente da China, Xi Jinping, disse em um discurso realizado de forma on-line, para o Fórum Econômico Internacional de Davos, que a tecnologia deve trazer bem-estar e benefícios para a humanidade e não limitar o desenvolvimento dos países.

“O mundo está passando por um momento sem precedentes em 100 anos. É uma era de grande desenvolvimento e uma era de burocracia. O multilateralismo no século 21 se esforça para inovar enquanto preserva a tradição e caminhamos em direção ao futuro. Devemos aderir aos valores centrais e aos princípios básicos do multilateralismo. Responder aos desafios e demandas globais com base nas mudanças na estrutura internacional e promover amplas discussões para obter um entendimento comum. Trabalharemos para melhorar a solidez do sistema de governança global. Os resultados da ciência e da tecnologia devem trazer bem-estar e benefícios para toda a humanidade, e não devem ser um meio de limitar ou restringir o desenvolvimento de outros países.”

Ele adicionou ainda que o mundo deve trabalhar para a construção de uma comunidade compartilhada.

“A humanidade tem apenas uma terra e um futuro comum. Seja a crise que se aproxima ou a abertura de um belo futuro juntos, precisamos nos unir e cooperar. O multilateralismo ilumina o futuro da humanidade. Devemos trabalhar para a construção de uma comunidade com futuro compartilhado para a humanidade. “

Xi Jinping também destacou que, no ano passado, a repentina epidemia do coronavírus devastou o mundo, a saúde pública global está enfrentando sérias ameaças. A economia mundial entrou em uma recessão profunda e a humanidade passou por múltiplas crises raras na história.

“Os Estados devem unir forças para combater o coronavírus e não iniciar uma nova Guerra Fria”, disse o presidente chinês. Segundo ele, a política de enfrentamento entre os Estados vai levar a um beco sem saída.

“A criação de pequenos grupos ou o início de uma nova Guerra Fria para rejeitar, ameaçar ou intimidar os outros … só levará a uma cisão no mundo”, afirmou o presidente da República Popular da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também