Foto: TRE-BA

WhatsApp afirma ter banido 256 contas ligadas a disparo em massa nas eleições

Os números representam o sucesso do primeiro mês do canal de denúncias de suspeitas de disparo em massa, prática proibida pela legislação eleitoral.

O aplicativo de mensagens WhatsApp anunciou que 256 contas foram banidas após serem denunciadas por disparo em massa nestas eleições. O dado foi divulgado hoje de forma conjunta pelo Tribunal Superior eleitoral (TSE) e pelo WhatsApp. Os números representam o sucesso do primeiro mês do canal de denúncias de suspeitas de disparo em massa, prática proibida pela legislação eleitoral.

O TSE, no primeiro mês de campanha, recebeu 1037 denúncias de disparos. Dentro desse número, 17 foram descartadas e 1020 foram encaminhadas para que o WhatsApp apurasse. Segundo o WhatsApp, as denúncias se referiam a 720 contas. Após investigação, 256 foram banidas e as outras permanecem em análise.

O disparo em massa de mensagens com objetivos eleitorais tem como punição multa e, dependendo da gravidade do caso, pode levar à cassação do mandato.

As denúncias de disparo em massa nas eleições podem ser feitas ao TSE no site do tribunal.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

CPI da Covid pode convocar Governadores, Ministros e Prefeitos na próxima semana

Os parlamentares sugerem a convocação dos ministros Paulo Guedes (Economia), Walter Braga Netto (Defesa e ex-Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil e ex-Secretaria de Governo), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos). O ministro Wagner Rosário, da Controladoria Geral da União (CGU), é chamado a depor em um pedido de convite. Há ainda requerimentos para a convocação do ex-ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores).