A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias entrega na quinta-feira (22.02) o título de “Amigo da Defesa Civil” para Sônia Kreisher do Amaral, Vera Lúcia Hutter e Inês Proença, voluntárias que transformaram o Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora Aparecida do Contorno em um ponto de apoio após a abertura de uma cratera às margens da BR-040. Moradoras da localidade, as três mulheres foram as responsáveis por organizar o café, almoço e jantar dos desalojados por quatro dias após a tragédia. A solenidade está marcada para começar às 10h no mesmo salão que atendeu os moradores da região.

“Essas senhoras, com toda a simplicidade delas, demonstraram verdadeiramente o que é a Defesa Civil: ajudar o próximo em um momento de dificuldade”, afirma o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, que lembrou também que os agentes do órgão municipal e os militares do Corpo de Bombeiros e da Polícia também foram assistidos no local.

Dona Sônia, de 70 anos, conta que estava limpando o jardim quando ouviu a correria das crianças naquele dia 7 de novembro. Mesmo sem a prévia autorização do pároco, ela disponibilizou o Salão Paroquial da Igreja, que depois acabou se transformando em um ponto de apoio. “O primeiro objetivo era ajudar os alunos da escola que vieram correndo para cá, acompanhados dos professores. Depois os agentes da Defesa Civil conversaram comigo e logo disponibilizamos para os moradores também. Acredito que nesses momentos o mais importante é ajuda ao próximo e naquele momento tudo que eu podia fazer eu fiz”, disse emocionada, garantindo que teria a mesma atitude caso acontecesse novamente.

Além dela, dona Vera Lúcia também esteve presente nos primeiros dias de atendimento. Ela lembra o desespero dos moradores e conta que o salão funcionou como a segunda casa das pessoas naquele momento. “Tudo que fazemos pelo próximo a gente ganha em dobro”, afirma, agradecendo também a amizade e o carinho dos agentes da Defesa Civil naquele momento.

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias segue sem estabelecer um prazo para a liberação daquela área – interditada desde o dia 7 de novembro. A liberação será possível somente após a realização de intervenções estruturais no interior do túnel, como já havia sido informado pelo secretário de Defesa Civil, coronel Paulo Renato Vaz.

“Reforço que são necessárias intervenções efetivamente estruturantes no interior das escavações. Por isso não trabalhamos com nenhum prazo ou previsão para a liberação da área, que passa exatamente sobre o traçado do túnel. Não podemos ser irresponsáveis com a vida das pessoas”, explica o secretário.