A Rua Vital Brasil, no São Sebastião, será mais um local a receber uma obra de contenção de encostas na cidade. Lá será implantada uma cortina atirantada. O valor da obra será de R$ 123,5 mil e ficará sob responsabilidade da empresa Mac Port. A obra é feita com recursos próprios da prefeitura.

Esse ano, a cidade já viu duas obras terem início. Uma delas, na Rua Desembargador Luiz Antônio Severo, em Itaipava, fruto de uma emenda parlamentar de R$ 384 mil, que não tinha começado por falta de pagamento de uma contrapartida de R$ 12 mil – valor garantido pelo prefeito Bernardo Rossi. A outra é no Sítio do Pica-Pau (Rua João Moreira), no Dr. Thouzet, que encerrou uma espera de 12 anos da comunidade e está orçada em R$ 268 mil.

“A gente tem caminhado com muito empenho no sentido de fazer as obras de contenção necessárias para a nossa cidade. Temos trabalhado bastante para recuperar os investimentos federais, conseguir mais verbas e também investindo recursos próprios em outras frentes”, diz o secretário de Obras, Ronaldo Medeiros.

As três obras iniciadas esse ano são de cortina atirantada, tipo de intervenção que consiste em construir uma parede de concreto com tirantes, que podem ser também de concreto ou de metal. Com isso, é possível suportar a carga feita pelo escorregamento de uma encosta.

O local ainda vai receber mais investimentos de contenção de encostas e drenagem. Uma emenda parlamentar ao orçamento federal feito pela deputada Cristiane Brasil vai destinar quase R$ 790 mil para a comunidade Vai Quem Quer, que terá mais R$ 66 mil de contrapartida do município. A Secretaria de Obras já trabalha na formulação do projeto executivo para a área.

O prefeito Bernardo Rossi trata a questão das encostas como uma das prioridades do governo. Petrópolis tem 234 áreas de risco alto e muito alto, de acordo com o Plano Municipal de Redução de Riscos (PMRR). Por isso, a cidade vem buscando recursos junto ao Ministério das Cidades para obras em 25 locais, que somam R$ 165 milhões.

Também foram solicitados R$ 36 milhões para obras de recuperação para sete áreas junto ao Ministério da Integração Nacional. Ao mesmo tempo, já foram devolvidos R$ 5,8 milhões que foram arrestados na gestão passada das contas do PAC Encostas, possibilitando a retomada, aos poucos, das obras – como já aconteceu na Av. Amaral Peixoto (Quitandinha) e na Rua Eugênio Werneck (Morin). O programa prevê investimento de R$ 60,2 milhões em 14 obras na cidade.