Viradouro é a campeã do carnaval 2020 no Rio

Quebrando o tabu, a Viradouro torna-se campeã do carnaval 2020 no Rio de Janeiro. A vitória foi de virada no último quesito, Harmonia, passando a frente da Beija-flor e da Grande Rio, que até então vinham liderando. Dificilmente uma escola vencia ao desfilar na primeira noite de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Desde 1985, apenas seis vezes a vencedora saiu do domingo, esta é a sétima vez que isso acontece. E, a julgar pelo desempenho da Viradouro, esta escrita foi rompida.

Este é o segundo campeonato da escola, o primeiro título foi no ano de 1997.

A Viradouro, sem dúvida, mostrou seu melhor momento, dentro do projeto de retomada da grandiosidade da década de 90, quando se tornou respeitada e temida pelas adversárias. A perda do presidente de honra, José Carlos Monassa, no fim de 2005, a fez mergulhar em um período ‘negro’, com a permanência, na maior parte dos anos, na série A, sem conseguir se firmar na chamada elite. Isso até o fim de 2017, quando a família Kalil decidiu reassumir, pagando dívidas que ultrapassavam os R$3 milhões, e investindo em nomes da época do apogeu, como o mestre de bateria Ciça, entre outros. A mudança de gestão restabeleceu as boas relações com o alto escalão da toda poderosa Liga das Escolas de Samba (Liesa).

E os investimentos feitos pela Prefeitura de Niterói na escola, através de articulações com gestores públicos no município ligados ao Carnaval, revitalizaram a sustentação da época de glória, quando a escola conquistou o único título no Grupo Especial, em 1997. Já em 2019, um ano após conquistar o título da série A e voltar, de forma definitiva à elite, a Viradouro foi a grande ‘pedra no sapato’ da campeã Mangueira, com quem disputou, de forma acirrada, ponto a ponto, o título. A verde rosa acabou campeã, mas mesmo com o vice-campeonato, o que ficou para a Viradouro, desde então, foi o orgulho de retomar os melhores tempos. E como o próprio samba do ano passado já dizia, o brilho no olhar voltou!

E quis o destino que as duas voltassem a se encontrar em um mesmo dia, no Domingo de Carnaval, de onde normalmente não tinha saído a vencedora. E pode se dizer que a vermelha e branca de Niterói levou a preferência do público, conseguindo carnavalizar o enredo sobre as ganhadeiras de Itapuã, da dupla Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon. Pouco conhecidos, eles mostraram muito talento ao planejar um desfile emocionante, injetando doses certas de luxo, modernidade, grandiosidade e ‘truques’ que fizeram a arquibancada levantar. os novos carnavalescos- sensação mostraram que o antecessor Paulo Barros não deixou saudades.

 

Resultado final

1º) Viradouro = 269,6

2º) Grande Rio = 269,6

3º) Mocidade = 269,4

4º) Beija-Flor = 269,4

5º) Salgueiro= 269,0

6º) Mangueira = 268,9

7º) Portela = 268,8

8º) Vila Isabel = 268,6

9º) Tijuca = 267,6

10º) São Clemente = 267,0

11º) Tuiutí = 266,2

12º) Estácio = 264,7

13º) União da Ilha = 264,2

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também