Acusados de fraudes em licitações públicas, Paulo Igor e Dudu deixam de receber seus respectivos salários, mas continuam com seus lugares garantidos na Câmara Municipal de Petrópolis, mesmo não exercendo seus cargos.

Em defesa de seus companheiros, o vereador Márcio Arruda, considerou que -“não se deve questionar que o afastamento dos vereadores de seus cargos comprova, em hipótese alguma, a cassação do mandato eletivo, o que só se efetiva com o trânsito em julgado da sentença penal condenatória.”

Os vereadores ainda não foram julgados, porém estão afastados do cargo desde o dia 12 de abril, por decisão judicial. Dudu está foragido, Paulo Igor foi preso e proibido de participar de sessões que dizem respeito ao legislativo.

A Mesa Diretora propôs uma mudança que precisa ser autorizada em plenário. Se a maioria dos votos for positivos em relação à emenda, a Câmara poderá convocar os suplentes dos vereadores afastados, para que estes exerçam o cargo em branco. O substituto de Dudu, seria o secretário municipal do meio ambiente, Fred Procópio, do PSDB. Renatinho Basílio, do MDB, seria o substituto de Paulo Igor.

Sendo convocados, os mesmos tem até 15 dias para se apresentar.

Por: Gabriel Malheiros