Foto: Daniel Castelo Branco

Verão começa nesta segunda em alerta com casos de covid-19 no Rio

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Um verão diferente e sem precedentes começa amanhã no Rio. O verão da pandemia. Essa estação do ano sempre leva milhares de cariocas e turistas às praias da cidade por conta do forte calor desta estação. Entretanto, neste ano precisa ser diferente. Especialistas em Saúde fazem questão de reforçar que a covid-19 também atua nesta época do ano com um alto potencial de contaminação. Até esta sexta-feira, o estado do Rio já registrava mais de 24.351 mortes pela doença.

De acordo com Chrystina Barros, pesquisadora em saúde do CESS/UFRJ, a praia, apesar de ser um ambiente ao ar livre, pode ser perigosa por conta da falta de cuidados da grande parte dos banhistas.

“As praias são lugares abertos, que convidam para atividades ao ar livre. O problema é que as pessoas confundem atividades ao ar livre com relaxamento e abuso de comportamentos. Por isso, as aglomerações que nós temos visto em praias e em quiosques de pessoas sem máscara, compartilhando objetos e conversando em uma distância muito pequena. Isso significa um ambiente propício para a disseminação do vírus. As pessoas estão cansadas e acabam confundindo isso com uma vontade de se revoltar contra esse ‘tempo perdido’ que elas assim julgam por terem se confinado e partem então para uma convivência sem nenhum tipo de cuidado”, destacou Chrystina, que completou com um alerta.”Nós estamos no meio de uma pandemia que, no verão, sem nenhum tipo de fiscalização, vai nos trazer um maior número de casos, de internações e, infelizmente, de mortes”.

A pesquisadora reforçou ainda que a máscara, mesmo sendo desconfortável de ser utilizada em um dia de intenso calor, segue sendo fundamental para minimizar a propagação do vírus.

“A máscara incomoda. Ela acumula luz do sol, mantém o rosto aquecido e faz sentirmos a temperatura do ar na nossa própria pele. Ela é desconfortável, mas não há outra forma de diminuir a transmissão da covid-19 que não seja o uso de máscaras, evitar aglomerações e lavar bem as mãos. A máscara precisa ser utilizada corretamente, ou seja, cobrindo nariz e boca”, reforçou a pesquisadora.Por fim, Chrystina Barros destacou que seria fundamental que as autoridades realizassem alguma ação com o objetivo de evitar aglomerações neste verão da pandemia. Caso contrário, ela garante que vão acontecer muitas mortes por covid-19.

“Se não houver nenhuma ação contundente do governo para que haja restrição à circulação de pessoas e para que não haja aglomerações, nós, infelizmente, teremos números altíssimos, principalmente por conta dessa mobilização de fim de ano, férias e verão. Vamos pagar com vidas e não serão poucas. Os números estão subindo e, se não houver nenhuma medida contrária, essa conta vai chegar”, alertou Barros.

Fonte: ODIA

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.