Vazamento de dados: saiba se seu CPF foi usado para abrir contas ou fazer empréstimos

Tome cuidado e proteja seus dados.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Em janeiro deste ano, foi identificado um vazamento com dados de 223 milhões de brasileiros, incluindo informações de pessoas falecidas. Desde então, um alerta se acendeu e muitas pessoas passaram a tomar conhecimento de que seus nomes e dados foram utilizados na abertura de contas correntes e empréstimos ilegais.

Para proteger pessoas jurídicas, empresas que oferecem serviços de conectividade estão atentas a esta prática criminosa, e disponibilizam soluções.

Para saber se você foi vítima deste tipo de fraude, o diretor comercial da Wirelink, Vanderson Santana, explica que um caminho é consultar o site Registrato, do Banco Central, que permite monitorar quais contas correntes e quantos empréstimos estão vinculados ao CPF do titular. É possível fazer o cadastro pelo aplicativo da instituição no celular via internet.

Através de um credenciamento simples, é possível controlar a situação em todas as instituições financeiras. Caso a pessoa verifique que foram abertas contas ou empréstimos por terceiros em seu nome, pode entrar em contato com a instituição financeira ou com o Banco Central.

Para fazer a consulta ao Registrato, basta acessar https://www.bcb.gov.br/cidadaniafinanceira/registrato e seguir o passo a passo.

Ainda não há como evitar o uso de dados

Segundo a empresa de segurança digital que identificou os vazamentos de dados, Psafe, hoje não há mecanismos para o cidadão verificar se seus dados foram vazados ou não. O que é possível fazer é evitar dar mais informações tomando alguns cuidados, como evitar informar dados pessoais em sites de procedência desconhecida, evitar dar informações sensíveis em ligações de números não identificados e utilizar um serviço de proteção contra golpes virtuais em seus dispositivos, como celular e computador.

Ainda de acordo com a empresa, os números de celular, bem como nome completo, informações de endereço e CPF das vítimas, podem ser utilizadas para aplicar os mais diversos tipos de golpe, sendo a grande maioria com base em engenharia social, para obter outras informações com a própria vítima, e fraudes.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.