Variante do Coronavírus encontrada em animais de estimação pode causar sérios problemas cardíacos

A descoberta foi feita após veterinários notarem um aumento incomum no número de casos de pacientes que sofrem de miocardite, um tipo de inflamação cardíaca.

Um novo estudo realizado no Reino Unido revelou que animais de estimação, ou seja, cachorros e gatos, foram identificados com infecções causadas por uma nova variante do SARS-CoV-2, o vírus causador da COVID-19. Apesar de os detalhes ainda não terem sido confirmados cientificamente, há indícios de que este vírus poderá causar algumas condições cardíacas nos animais, semelhante ao que acontece com alguns humanos.

A descoberta foi feita após veterinários notarem um aumento incomum no número de casos de pacientes que sofrem de miocardite, um tipo de inflamação cardíaca.

Junto ao Instituto Nacional de Pesquisa para o Desenvolvimento Sustentável da França, pesquisadores estudaram cachorros e gatos que estavam internados em uma clínica em Londres, especificamente nos que estavam internados na unidade de cardiologia da instalação. Os cientistas notaram que, durante dezembro de 2021 e fevereiro de 2021 houve um aumento no pico de internações de pacientes com miocardite e o número passou de 1,4% para 12,8% no período.

Outro ponto é que esse aumento nos casos foi observado no mesmo período em que houve um aumento nos casos de humanos infectados com a variante B117, descoberta na região. Com isso, os pesquisadores ficaram estimulados a estudar a ligação entre os casos.

Durante o estudo, os veterinários estudaram o desenvolvimento do estado de saúde de oito gatos e três cachorros. Nenhum deles, antes da infecção, tinham condições cardíacas pré-existentes, mas os exames revelaram novos problemas, como batimentos irregulares do coração, bem como fluido em seus pulmões.

Dentro desse grupo de animais, sete foram testados com reações e três tiveram resultado positivo para a variante B117 do novo coronavírus, enquanto outros dois indicaram ter anticorpos potencialmente criados após uma infecção previa pelo SARS-CoV-2.

Os cientistas também revelaram que, apesar de todos os animais terem se recuperado da doença, um gato foi submetido à eutanásia após uma recaída no quadro clínico.

Até o momento, porém, é importante destacar que não há confirmações de que as condições cardíacas encontradas nos animais possuem relação com a contaminação pelo novo coronavírus, portanto são necessários mais estudos para se obter dados mais conclusivos.

Da mesma forma, muitas respostas sobre a possível taxa de transmissão entre humanos e animais ainda devem ser pesquisadas. Vale lembrar que no ano passado foi encontrado o primeiro caso de transmissão de animais para pessoas na Holanda, com uma contaminação que aconteceu por meio de visons, animais da mesma família de doninhas e furões.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também