O encerramento do projeto Petrópolis em Serenata este ano acontece no Hospital Alcides Carneiro, em Corrêas, nesta quinta-feira (22.11), às 15h. Depois de percorrer diversos bairros da cidade, os seresteiros e seresteiras fecham as apresentações de 2018 levando música aos pacientes e funcionários do maior hospital público do município. O repertório será variado, com músicas como “Chão de Estrela”, de Orestes Barbosa e Silvio Caldas, e “Deusa da Minha Rua”, de Jorge Faraj.

Esta é o oitavo ano que o Petrópolis em Serenata faz o seu encerramento no Hospital Alcides Carneiro. Para o coordenador do projeto, José Lacerda, é sempre emocionante. “As pessoas ficam muito felizes, emocionadas. A lua crescente, mesmo de partida, brilha no firmamento e ilumina os poetas, os músicos e os seresteiros que, juntos com os funcionários do hospital, estarão levando um pouco de alegria para aqueles que estão em busca de recuperação da saúde”, frisa.

Este ano, o Petrópolis em Serenata comemorou o seu 17º aniversário. Os seresteiros se reúnem mensalmente e a cada mês percorrem ruas de um bairro, comunidade ou distrito da cidade, sempre homenageando nomes que têm relação com o estilo apresentado por eles ou com a localidade.É um projeto itinerante que nasceu no dia 19 de abril de 2001, no bairro Valparaíso, com o objetivo de resgatar este estilo musical antigo, comum nas cidades do interior e também em Petrópolis. O projeto conta com instrumentistas, cantores e apoio.

“Estamos muito felizes por completarmos mais um ano de atividades desse importante projeto para o município, que resgata e mantém nossas tradições”, destaca o prefeito Bernardo Rossi. “Em 2018, os quatro cantos da cidade receberam apresentações, que chegaram até a Posse. É muito importante esse incentivo ao segmento de música e com um projeto tão significativo como o Petrópolis em Serenata”, completa o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), Leonardo Randolfo.

No Hospital Alcides Carneiro, os seresteiros e seresteiras vão passar pelo pátio e espaços internos. “Este vai ser o evento que vai encerrar o ano, mas já estamos pensando no repertório para o ano que vem”, explica José Lacerda.