Um treinamento sobre interceptação telefônica e as principais ferramentas que o importante sistema usado pela Polícia Civil disponibiliza e que contribui com as investigações. Esse foi o monte do curso realizado nesta quinta-feira (17.05) pela Assessoria de Inteligência Policial (Assinpol) da Polícia Civil do Rio de Janeiro para cerca de 30 agentes de diversas delegacias do interior do estado. O treinamento aconteceu no campus Barão do Amazonas da Universidade Católica de Petrópolis (UCP).

“Nesses 65 anos de UCP, formamos diversos profissionais, como advogados, delegados, ministros, políticos, entre outros. Já passamos por diversos momentos muito intensos. E o que mais fortalece a Instituição são as pessoas, os alunos que passam por aqui. Isso aqui é uma casa de Educação, uma casa de preparação. Por isso ficamos muito honrados em recebê-los para esse treinamento nessa parceria que a cidade só tem a ganhar. A UCP se coloca à disposição da Polícia Civil, que tem uma expertise muito específica. Então disponibilizamos o nosso espaço para recebê-los sempre que precisarem”, disse o vice-reitor da UCP, Marcelo Vizani, dando as boas-vindas ao grupo.

Agentes de diversas unidades policiais do interior, como Nova Friburgo, Cantagalo e Duas Barras, também participaram do curso realizado no campus da UCP.

“Esse curso é fundamental para a capacitação dos agentes, uma vez que hoje vivemos uma época diferente, com a criminalidade ganhando um corpo diferente no interior. A ideia é capacitar e dar mais qualidade aos agentes para termos um trabalho de maior impacto. Petrópolis é a cidade de maior volume entre as cidades do interior e ter a UCP nessa parceria, para realizarmos outros cursos, certamente nos ajuda e abre portas. Pois estamos trazendo os nossos policiais para dentro da sala de aula, para capacitá-los”, comenta Cláudio Batista Teixeira, delegado titular da 105ª Delegacia de Polícia, em Petrópolis.

Em Petrópolis, crimes de grande repercussão que foram solucionados – como o assalto a uma joalheria na Rua 16 de Março e as duas últimas grandes operações contra organizações criminosas responsáveis pela venda de drogas no município – foram amparadas por uma interceptação.

“O que vamos falar aqui é como a delegacia fala com a Assinpol; qual a missão da Assinpol; o que podemos oferecer; como é o procedimento para a solicitação desse suporte. Dar um passo-a-passo e essa aproximação das delegacias com o setor, que fica na Cidade da Polícia, no Rio. Pois muitas vezes as unidades não têm a disponibilidade de mandar o pessoal para o Rio. Essa iniciativa é importantíssima, para eles conhecerem e saberem que a Assinpol está aqui para ajudar no que for possível e para aproximar as delegacias. E com isso a cidade ganha com a capacitação do policial, pois temos ferramentas de ponta que às vezes não são usadas por desconhecimento”, explica o Comissário Miguel Ticon, Chefe do Setor de Busca Eletrônica da Assessoria de Inteligência Policial da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que ministrou o curso nesta quinta.