Transbordo de lixo: operação adequada entra em teste na segunda quinzena de fevereiro

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A operação do transbordo de lixo de forma totalmente adequada passará por testes a partir da segunda quinzena de fevereiro. O objetivo é verificar o resultado de todas as obras realizadas na estação de transbordo, que fica no km 79 da BR-040 (Duarte da Silveira), e se há necessidade de ajustes. Esse teste deve durar cerca de um mês e, a partir de meados de março, o município dará fim a uma situação que se arrasta a 20 anos, passando a fazer a transferência do lixo direto dos caminhões de coleta para as carretas de transporte para o aterro de Três Rios.

O local passou por nova rodada de vistorias pela Comdep, secretarias de Meio Ambiente e de Serviços, além do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). A área operacional, com cerca de 1,5 mil m², já tem o piso inferior concretado, as contenções do andar superior também prontas e o telhado foi instalado. Na última semana, foram feitas melhorias na rampa de acesso que será usada pelos caminhões. Outro avanço dos últimos dias foi a colocação de uma chapa de aço presa ao muro de contenção para garantir que todo lixo caia apenas dentro das carretas de transporte.

“Nós buscamos melhorar o sistema de coleta de lixo desde o início do nosso governo em todos os pontos. Regularizamos e ampliamos a coleta e estamos fazendo a adequação da estação de transbordo. O que está sendo feito aqui é dar a solução ambiental para uma situação de 20 anos sem ser resolvida. A operação será totalmente correta e adequada e isso é algo que terá um impacto ambiental por muitas décadas na cidade”, ressalta o prefeito Bernardo Rossi.

Mudanças na operação do transbordo de lixo

Hoje, cerca de 310 toneladas de lixo são coletadas diariamente em toda cidade pela Força Ambiental. O serviço passa em mais de 1,6 mil ruas ou localidades, de segunda a sábado ou então com intervalos de 48 horas. Todo resíduo coletado é levado para a estação de transbordo e colocada rapidamente nas carretas para o transporte.

“Agora o caminhão vai subir a rampa e vai jogar, daqui de cima, direto na carreta. Não vai ter mais lixo no chão. O solo foi impermeabilizado, foram instaladas canaletas de drenagem para captar todo resíduo líquido que vier junto com o lixo, coisas que não aconteciam nos últimos 20 anos. Aqui no entorno, vai ter um cinturão verde com três metros de largura e que vai abafar o ruído das máquinas e caminhões e proteger a mata”, explica o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio.

Todo processo de adequação do transbordo de lixo é acompanhado de perto pelo Ministério Público Federal, pelo ICMBio e pela APA Petrópolis. Além dessas obras, outros pontos determinados pelo TAC que foram providenciados pela PDCA – empresa que faz o transporte do lixo para o aterro de Três Rios e opera o transbordo – foram a limpeza da área de entorno do transbordo, instalação de tapume para que o lixo não seja arrastado para a pista, a diminuição da área utilizada no terreno.

“Estamos realmente muito perto de passar a operar de forma totalmente adequada. Essa é uma obra necessária, muito importante. Vários governos passaram e neste está saindo, graças à parceria com todas as secretarias envolvidas, que sempre foram muito firmes para cobrar a obra, mas também não mediram esforços para contribuir para que isso acontecesse. Vamos iniciar os testes para verificar se a operação ocorre da forma que planejamos, se temos que fazer algum ajuste”, afirma o diretor da PDCA, Jefferson Barreiros.

“A importância dessa obra é indubitável. Desde o ano 2000 que usamos essa área como transferência do lixo e nunca conseguimos fazer essa obra. Depois de todo licenciamento, a empresa que opera o transbordo conseguiu levar a obra à frente. Isso para a cidade é um grande ganho. Infelizmente, todos viam aquela concentração de lixo jogada no chão e, com essa obra, toda essa área passará a ser higiênica, saneada. Vamos poder fazer a transferência do lixo para o aterro com toda a segurança de que estamos cumprindo todas as normas ambientais”, diz o diretor técnico-industrial da Comdep, Jorge Luiz Plácido.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.