Conforme prometido, os torcedores do Flamengo realizaram, na manhã desta quarta-feira, um protesto em frente ao CT do Ninho do Urubu, localizado em Vargem Grande, zona oeste do Rio de Janeiro. No dia do aniversário de 122 anos do clube, as organizadas cobraram mais gana dentro de campo, além de exigirem a saída de alguns jogadores e de dirigentes do clube, como Rodrigo Caetano, que é diretor executivo de futebol.

Entre as palavras de ordem gritadas pelos rubro-negros, além de ofensas, como “Caetano, vai se f…, o Flamengo não precisa de você”, os torcedores também cobraram: “Time sem vergonha”, “honrem a camisa” e ameaçaram: “Se o Flamengo não vencer, a porrada vai comer”.

Os torcedores também colocaram algumas faixas em frente à porta de entrada do CT, que tinham dizeres fortes: “Salário em dia, porrada em falta”, “Não nascemos em 2013, são 122 anos”, “Se damos a vida, exigimos que vocês deem o sangue”, entre outras.

Torcedores do Flamengo protestam no dia do aniversário de 122 anos do clubeReprodução Twitter

O grupo também exigiu a saída dos jogadores Alex Muralha, Rafael Vaz, Márcio Araújo, Rômulo, Mancuello e Gabriel. Os membros da direção do Flamengo também não foram poupados pelos torcedores, que criticaram o presidente Eduardo Bandeira de Mello, os diretores Fred Luz e Rodrigo Caetano.

O momento de maior tensão foi quando o carro do vice-presidente de futebol Ricardo Lomba entrou no centro de treinamento. O grupo não perdeu tempo e arremessaram ovos e pipoca no veículo, que também foi alvo de tapas e socos nos vidros.

O clube teve que reforçar a segurança e chamou viaturas da Polícia Militar para evitar maiores confusões ao redor do centro de treinamento.

Com 50 pontos, o Flamengo ocupa a 7ª colocação no Campeonato Brasileiro e, neste momento, estaria classificado para a fase preliminar da Libertadores. No entanto, é seguido de perto pelo rival Vasco, que tem apenas um ponto a menos, e é o primeiro time fora da zona de classificação para a competição continental.

ODIA