Foto: Reprodução

Titular do 7 x 1 afirma que Brasil é o favorito na Copa do Mundo

Toni Kroos afirma que o Brasil está “um degrau acima” dos outros times
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O meia Toni Kroos, do Real Madrid, afirmou que a Seleção Brasileira entra na Copa do Mundo de 2022 como favorito ao título.

O jogador que foi titular no 7 a 1, disse em entrevista exclusiva ao OneFootball, que a equipe do Brasil está “um degrau acima” dos outros times.

“O favorito pra mim é o Brasil. Vejo eles um degrau acima dos outros times. Atrás deles vejo equipes como França, Espanha, Argentina, Inglaterra e Alemanha. Para a Alemanha, espero que eles tenham um bom começo no torneio, o que sempre ajuda a trazer uma sensação boa – eles definitivamente têm a qualidade para chegar longe no torneio”, explicou.

O craque alemão não atua mais pela sua seleção porque se aposentou no ano passado, após campanha da Euro.

Campeão em 2014, ele coloca a Copa do Mundo como a “maior competição possível nos esportes” e vê no futebol o potencial de unir o planeta.

Tonis Kroos – Foto: Reprodução / Alemanha FC

“Como esporte número um do mundo, o futebol automaticamente une o mundo. É maluco existirem tantas pessoas jogando ou assistinto futebol. Então definitivamente há uma enorme responsabilidade para o esporte e também para todos os jogadores serem grandes exemplos em termos de valores – especialmente para torcedores jovens”

Kroos afirma que o fato do mundial ser disputado no final do ano, trará novos desafios aos jogadores que atuarão por suas seleções.

“Será uma Copa do Mundo diferente comparada às outras. Como é no inverno, os times não vão ter tanto tempo para se preparar como de costume, então o momento que os jogadores trazem dos seus clubes terá um impacto maior. Mas serão as mesmas circunstâncias para todos os times”, comentou.

O jogador nunca disputou uma Copa nessas condições, apesar de ter jogados 14 jogos do torneio ao longo de sua grandiosa carreira.

Ele coloca dois momentos como os mais especiais ao longo dessas partidas: o apito final na decisão de 2014 e o gol contra a Suécia em 2018.

“Havia muita pressão para vencer o jogo depois de perder o primeiro, ainda mais em cima de mim porque eu tinha cometido um grande erro que resultou em gol da Suécia. E notar que eu dei ao país inteiro um enorme momento de alegria é especial”, descreveu sobre o gol marcado contra a Suécia.

Dessa vez ele não vai poder contribuir diretamente na campanha alemã, mas vai torcer sem pressão sob os seus ombros e acompanhar tranquilamente a Alemanha e seus companheiros de Real Madrid no Catar.

Fonte: Com informações do OneFootball

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.