O Dia das Crianças terminou em tragédia na Baixada Fluminense. Dois tiroteios foram registrados perto de parques de diversões na noite desta quinta-feira. Em São João de Meriti, um sargento da Polícia Militar e um empresário foram mortos. Já em Nova Iguaçu, três pessoas ficaram feridas.

No primeiro caso, o dono do Playcity, identificado como Manoel Alves, e seu segurança, o sargento da PM Jorge da Silva Brandão, foram abordados enquanto saíam do parque, que fica no estacionamento do Shopping Grande Rio. Os bandidos tentaram assaltar a dupla em um dos acessos ao shopping, no Viaduto São João Caxias, e atiraram contra as vítimas.

Manoel foi baleado na cabeça e morreu no local. O sargento também foi ferido na cabeça ao tentar sair do carro e fugir dos criminosos. Ele chegou a ser levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) do município, mas não resistiu.  Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, Jorge foi o 108º PM morto no estado do Rio em 2017.

De acordo com a polícia, algum funcionário do parque pode ter participado da elaboração do crime, já que os bandidos sabiam a hora que o Manoel saia e que ele estava com dinheiro.

Em nota, o Shopping Grande Rio lamentou o caso e informou que o parque não está funcionando nesta sexta-feira. “Deixamos nossas mais sinceras condolências à família e amigos”, completou. O PM será enterrado, às 11h deste sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

Na mesma noite, houve um tiroteio no PlayKids, montado na Praça Augusto Dumont, no Centro de Nova Iguaçu. Três pessoas ficaram feridas e levadas para o Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse). Segundo relatos, o dono desse parque, identificado como Alberto, é irmão de Manoel.

A unidade informou que Fernando Muguet, 36 anos, foi baleado no abdômen e passou por uma cirurgia de emergência. Seu estado de saúde é estável. Adriano de Abreu Silva, 36, foi ferido no ombro esquerdo, mas não teve ferimentos profundos e está fora de perigo. Jair Francisco Ferreira, 60, é morador de Belford Roxo e foi atingido no ombro direito. Ele também passou por uma cirurgia e seu estado de saúde é estável.

Correria durante tiroteio

Testemunhas contaram que houve correria no momento do tiroteio no parque. O local estava cheio de famílias por causa do Dia das Crianças. O pedreiro Igor Augusto Vargas, 52 anos, disse que a troca de tiros ocorreu dentro do local e lembrou ainda que a viatura entrou na contramão.

“Os bandidos viram as crianças e idosos, mas, mesmo assim, atiraram contra a polícia. Os PMs revidaram. Foi um desespero. As crianças correram, outras caíram, os idosos passaram mal e as mães ficaram desesperadas. Na hora, não entendemos nada. Só me joguei no chão e tentei proteger as crianças que estavam perto de mim”, destacou Igor, que tem uma barraca na rua.

A dona de casa Sônia Regina, 47, torceu o pé esquerdo ao tentar se proteger do tiroteio. “Foi tudo muito rápido. Infelizmente, essa não é uma realidade só de Nova Iguaçu. A falta de segurança está em todos os lugares. A data de ontem [quinta-feira] vai ficar marcada por ser Dia das Crianças. Na hora, nossa maior preocupação foi acudir os feridos”, enfatizou.

 

Odia