Foto: Divulgação / TSE

Teste de Integridade: projeto-piloto com biometria será realizado em seis urnas no estado do Rio de Janeiro

A seções serão escolhidas entre aquelas instaladas na Fundação Getúlio Vargas, em Botafogo
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O projeto-piloto com biometria do Teste de Integridade das urnas eletrônicas será realizado em seis urnas de seções eleitorais instaladas na Fundação Getúlio Vargas (FGV), em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro. A escolha das seções será feita no sábado (1º), véspera do pleito, pela Comissão de Auditoria da Votação Eletrônica (Cave) do TRE-RJ, em cerimônia pública realizada na sede do TRE-RJ e com transmissão ao vivo pelo perfil do Tribunal no Facebook. A FGV abriga 21 seções eleitorais e é o local de votação de 7.785 eleitoras e eleitores.

Criado pelo TSE, por meio da Resolução TSE 23.710/2022 (link), o projeto-piloto com biometria do Teste de Integridade das urnas eletrônicas contará com a participação de eleitoras e eleitores voluntários que, após votar no dia do pleito, serão convidados a participar da iniciativa.

A eleitora ou o eleitor voluntário que aceitar participar do Teste de Integridade, após assinar um termo de consentimento, irá posicionar seu dedo no leitor biométrico da urna selecionada para passar pelo procedimento, liberando o equipamento para que a equipe da Cave faça a votação. A Justiça Eleitoral ressalta que a participação na auditoria não significa que o eleitor ou eleitora votará duas vezes. 

Após a liberação da urna com a digital da eleitora ou eleitor voluntário, a equipe da Cave faz o mesmo procedimento previsto no Teste de Integridade, que consiste em uma votação simulada. 

Na data do pleito, das 8h às 17h, mesma hora em que ocorre a votação oficial, os números anotados em cédulas previamente preenchidas por representantes dos partidos políticos e demais entidades fiscalizadoras são digitados, um a um, nas urnas eletrônicas. Paralelamente, os votos em papel também são registrados em um sistema de apoio à votação, que funciona em um computador.  Realizado há 20 anos nas eleições, o Teste de Integridade, previsto na Resolução TSE 23.673/2021, é uma das etapas de auditoria da votação eletrônica. Nas Eleições 2022, o procedimento teve o número de urnas ampliado. No estado do Rio de Janeiro, 33 urnas passarão pelo Teste de Integridade e, em seis delas, será realizado o projeto-piloto com biometria.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.