SUS vai oferecer hipnoterapia Hipnose Terapêutica é reconhecida como tratamento alternativo e procedimento entra para o rol de Práticas Integrativas e Complementares (PICS)

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) terão acesso a 10 terapias alternativas, chamadas de Práticas Integrativas e Complementares (PICS), que podem ajudar na prevenção de doenças como depressão e hipertensão. O Ministério da Saúde anunciou a incorporação dos tratamentos terapêuticos no dia 12 de março, entre eles a Hipnoterapia (utilização de Estados Alterados de Consciência), um método alternativo envolvendo hipnose terapêutica.

O psicólogo, especialista em Medicina Comportamental e hipnoterapeuta, Valdecy Carneiro, fundador da Sociedade Interamericana de Hipnose (SIAH), explica que a Hipnose é uma das mais eficazes ferramentas para atuação na Psiconeuroimunoendocrinologia do indivíduo, ou seja, com a hipnoterapia é possível trabalhar a neuroplasticidade, a capacidade que nosso sistema nervoso tem de se refazer e de (re)criar novos caminhos neuronais.

A Hipnose Terapêutica pode ajudar o indivíduo a livrar-se de traumas, fobias, comportamentos indesejados, vícios, desbloquear aprendizados, melhorar concentração e memória, aperfeiçoar desempenhos, além de auxiliar no tratamento de transtornos: alimentares (obesidade, anorexia, bulimia, compulsões), de ansiedade (medos, fobias, TOC), de humor (depressão, distimia, bipolar), sexuais femininos e masculinos (frigidez, anorgasmia, dispareunia, vaginismo psicogênico, ejaculação precoce, impotência, entre outros).

Para Carneiro a inclusão das terapias alternativas é um grande passo no sistema de saúde pública em direção a maior qualidade de vida da população. “As terapias alternativas, hoje nomeadas de Práticas Integrativas e Complementares, sempre visaram o tratamento do indivíduo como um todo, de maneira não fragmentada”. Segundo o especialista, o acolhimento, a proximidade e o cuidado gerados, bem como maior facilidade de agendamento com os profissionais praticantes de PICs, gera uma maior humanização do atendimento.

A Hipnose já é reconhecida no Brasil por quatro Conselhos Federais: Psicologia (CFP), Medicina (CFM), Odontologia (CFO) e Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), segundo o especialista “Com essa inclusão como terapia alternativa pelo SUS, a Hipnoterapia, sem dúvida, recebe um reconhecimento e validação merecida no conjunto de práticas que promovem a saúde e o bem-estar biopsicossocial”, comenta Carneiro.

O SUS já oferecia desde desde 2006, os tratamentos de acupuntura, homeopatia, fitoterapia, antroposofia e termalismo. No ano passado, foram incluídas mais 14 práticas: arteterapia, ayurveda, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturoterapia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, shantala, terapia comunitária integrativa e ioga. Agora, a lista conta com 29 práticas, com a inclusão de: apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.