Foto: Reprodução

Sobrevivente do voo da Chapecoense sofre novo acidente grave e sai com ferimentos leves

Segundo portais bolivianos, 21 pessoas morreram e 30 ficaram feridas no acidente.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Um dos sobreviventes da tragédia que matou grande parte da delegação da Chapecoense, Erwin Tumiri, técnico de aviação, escapou com vida de mais um grave acidente. O homem estava em um ônibus que se acidentou no quilômetro 72 da rodovia que liga Cochabamba a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Segundo portais bolivianos, 21 pessoas morreram e 30 ficaram feridas.

A irmã de Erwin, Lucía, afirmou que ele passou por outro milagre. “Ele está estável, graças a Deus. Mais uma vez ele foi salvo. Eu estava muito preocupada. (…) Me sinto feliz pelo meu irmão. Ele está com ferimentos no joelho e arranhões nas costas, está com um corte que vai ser suturado”, disse, ao jornal boliviano.”Conversei com ele, ele disse que está bem. É a força do Senhor, ele sempre cuida de nós no seu tempo”, completou.

Tumiri, a comissária de bordo Xemena Suarez, o jornalista Rafael Henzel (que morreu em 2019 vítima de um infarto) e os jogadores Alan Ruschel, Jakson Follman e Neto foram os únicos sobreviventes do desastre aéreo que matou 71 pessoas, entre atletas, membros da comissão técnica, jornalistas, dirigentes e tripulação do voo da Lamia, que transportava a equipe rumo à final da Copa Sul Americana, em 29 de novembro de 2016.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Trabalho infantil no Mundo aumenta pela primeira vez em 20 anos

No relatório Trabalho Infantil: estimativas globais de 2020, tendências e o caminho a seguir, divulgado pelas duas instituições por ocasião do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, celebrado em 12 de junho, destaca-se a necessidade de medidas para combater a prática, que poderá ser agravada pela pandemia.

Comentários estão fechados.