Foto: Reprodução

Sobrecarga elétrica é responsável por 54% dos incêndios domésticos

O coordenador Síndico da Cipa, Bruno Gouveia, aponta que os condomínios devem estar cada vez mais atentos às exigências de autorizações e vistorias para evitar problemas que podem colocar em risco a vida e o patrimônio dos moradores.

A sobrecarga elétrica continua sendo uma dor de cabeça para os condomínios. Dados da Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos da Eletricidade (Abracopel) apontam que, em 2020, 54% dos incêndios ocorridos em casas ou apartamentos se deram por causa da sobrecarga no sistema elétrico. O coordenador Síndico da Cipa, uma das maiores administradoras de condomínios do país, Bruno Gouveia, aponta que os condomínios devem estar cada vez mais atentos às exigências de autorizações e vistorias para evitar problemas que podem colocar em risco a vida e o patrimônio dos moradores.

– Até março, o Corpo de Bombeiros do Rio registrou mais de mil incêndios em residências em todo o estado. O síndico precisa estar atento à normas, que não são meramente burocráticas. São exigências que ajudam a minimizar o risco de incêndios em moradias – alerta Gouveia.

Os prédios mais antigos precisam de um cuidado ainda maior, salienta o coordenador Síndico da Cipa.

– Quando estes imóveis foram construídos, não tínhamos tantos aparelhos elétricos plugados nas tomadas. A quantidade de aparelhos disponíveis atualmente exige uma carga bem maior. E com o home office, devido a pandemia, muita gente trabalha em casa – relata Gouveia.

Edificações com mais de 25 anos de uso necessita realizar autovistoria a cada cinco anos. Gouveia ressalta a necessidade e contratar uma empresa que tenha uma equipe multidisciplinar que verifique toda a estrutura do imóvel.

– A manutenção preventiva é a melhor solução nestes casos. Moradores e síndicos devem estar atentos a esta necessidade. Contratar empresas especializadas é bem mais seguro e pode evitar um incidente bastante amargo para todos – afirma o coordenador da Cipa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também