Secretaria de Saúde recebe mais de 150 mil doses de vacina Pfizer do Ministério da Saúde Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Sobre a vacinação no Brasil

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Nos últimos dias, países da Europa adotaram o lockdown para combater à pandemia do novo coronavírus que avança com força no continente, que foi responsável por mais da metade da média de infecções e das últimas mortes em todo o mundo, de acordo com uma contagem da Reuters.

Tão 2020, né? Pois não é.

Enquanto por aqui as pessoas estão fazendo planos para o Natal, Réveillon e até Carnaval, outros lugares ainda enfrentam a doença como se ainda estivéssemos naquele fatídico março do ano passado. Mas por quê? Bom, a resposta parece óbvia, mas infelizmente não é. A vacina.

Apesar dos esforços do governo e de uma minoria pequena, mas barulhenta, pode-se dizer que a vacinação nacional tem ido bem até aqui. Um dos exemplos que comprova isso é que no dia que este texto está sendo escrito, terça-feira (16), o Brasil ultrapassou os Estados Unidos no percentual em taxa de imunização completa contra a Covid.

De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, no dia 14 de novembro, o país atingiu 125,4 milhões de pessoas vacinadas com duas doses, de um total de 213,3 milhões, chegando aos 58,8% da população completamente imunizada, enquanto os EUA têm 195,3 milhões, cerca de 57,6%.

Para se ter noção, o governo estadunidense autorizou o início da vacinação contra o coronavírus em 14 de dezembro de 2020, enquanto aqui, a primeira brasileira recebeu o imunizante no dia 17 de janeiro de 2021.

Tudo isso então quer dizer que o Brasil fez um tremendo trabalho? Sim… E não. Não precisar mais adotar o lockdown e ultrapassar os Estados Unidos em percentual de vacinados era inevitável. A questão é que nós deveríamos ter feito os dois há muito tempo.

Além da forte cultura de vacinação que nós temos no nosso país, o movimento antivacina é muito menor aqui do que nesses outros lugares. Fora isso, tivemos diversas dificuldades com falta de imunizantes e a campanha começou muito atrasada.

Sabe quando você tirava 8 na prova e sua mãe falava que você não fez mais do que sua obrigação? Esse foi o processo de imunização no Brasil. É bom, mas poderia ser muito melhor.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Sobre se sentir perdido

Aos 18 anos, eu tive que tomar uma escolha que muitas pessoas dessa idade devem tomar: decidir meu futuro. Fato que eu nunca achei certo,

Comentários estão fechados.