Serviço 193 recebe cerca de 70 mil chamados mensais

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Deste total, 30% são falsas ocorrências. Meta é conscientizar a população

Acionado em casos de emergência, como acidentes, incêndios e salvamentos, o serviço 193 recebe, em média, 72 mil chamados todos os meses. Deste total, 30% são falsas ocorrências, conhecidas como trotes. O Corpo de Bombeiros chama a atenção para o percentual, com o objetivo de conscientizar a população sobre o problema.

– É importante que as pessoas tenham responsabilidade e bom senso ao ligar para o 193. Vale lembrar que, ao acionar o serviço, uma equipe será deslocada para a ocorrência e, ao chegar, se descobre que é falsa. Isso quer dizer que a corporação já empregou o recurso e isso pode comprometer outro atendimento, que pode ser real – afirmou o tenente-coronel Alexandre Neves, diretor-geral de Comando e Controle Operacional.

Os trotes causam prejuízos e a redução de chamados falsos está entre as metas do Governo do Estado. Para isso, é necessário que a população esteja ciente de como é feita a triagem e o deslocamento da equipe de emergência para o local indicado.

– Quando um de nossos atendentes recebe a ligação, fazem diversas perguntas para que a triagem seja feita. A pessoa precisa ser o mais detalhista possível e fornecer, por exemplo, a localidade da ocorrência com um ponto de referência, se há vítimas e algum telefone de contato. Trabalhamos com o tempo-resposta e quanto mais informações a pessoa passar, mais rápido o atendimento será enviado – destacou o tenente-coronel.

Localizado no Centro de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, o Comando e Controle Operacional do 193 funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. A partir do momento que a central recebe a chamada e faz a triagem, a ocorrência é repassada para o quartel mais próximo.

– Temos uma ferramenta de geolocalização que, a partir do endereço informado, ajuda a calcular em média o tempo que o socorro chegará ao local. É preciso entender que ao comunicar uma falsa ocorrência, um caso real deixou de ser atendido e que uma pessoa em situação grave não recebeu socorro. Só entre os dias 26 e 27 de fevereiro, foram 130 trotes e cerca de 100 ligações pedindo informações – explicou o diretor-geral.

Entre as principais ocorrências no verão, estão àquelas relacionadas aos eventos de chuva, alagamentos e cortes de árvores. Já nos meses de inverno, os chamados são em virtude das queimadas em matas e florestas durante a época de seca.  

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.