Na tarde de ontem, o Atilio Marotti esteve com 400 torcedores para prestigiar um Serrano que tentava recuperação contra o Carapebus, lanterna do grupo e time com pior campanha na competição, o cenário era perfeito para uma vitória redentora, depois de dois jogos com derrotas.

O time até saiu na frente com Marcelo Régis, sendo o primeiro gol do atacante na segunda divisão, entretanto a equipe do norte do estado quando chegou ao ataque, teve a oportunidade de marcar seu primeiro gol, quando o árbitro marcou uma penalidade máxima cometida por Arthur Lopes, convertida por Gilsandro, em seguida o roxinho virou o jogo com Layon, terminando a primeira etapa em 2 a 1.

Em desvantagem o Serrano partiu para o ataque, tentando evitar nova derrota e espantar o fantasma da má campanha do primeiro turno do ano passado, onde o time teve um desempenho muito ruim, chegando a ser o lanterna geral da competição, no entanto, a coisa piorou quando uma nova penalidade foi marcada em favor dos visitantes, após falta cometida por Kauer dentro da área, desta vez Wilkson foi o responsável por converter a cobrança em gol para o adversário serranista.

Kauer se redimiu em parte de sua falha e marcou o segundo gol, insuficiente para o time arrancar ao menos um empate, nas arquibancadas começaram alguns gritos que pediam a saída do técnico Marcelo Olímpio, por considerarem que mesmo com um time melhor, o treinador que comanda o time desde 2016 não consegue realizar um trabalho que coloque o time entre os ponteiros do campeonato, restando a luta pela manutenção, a arbitragem foi alvo de protestos por não sinalizar corretamente os acréscimos.

Serrano: Gustavo; Foguete, Pedro Paulo (Dener 19’/2ºT), Ricardo Lucena e Arthur Lopes; Kauer, Arthur Santos (Yan 21’/2ºT) e Ruan; Marcelo Régis, Marcelo e Juninho (Daniel 15’/2ºT). Técnico: Marcelo Olímpio.

Carapebus: Victor; Dodô, Pezão, Jefferson e Miguel; Renan, Lorran (Diego 40’/2ºT) e Noel; Layon (Allan 20’/2ºT), Gilsandro (Tim 28’/2ºT) e Wilkson. Técnico: Samarone Oliveira.

Cartões amarelos: Kauer, Ricardo Lucena, Marcelo Régis (SER); Dodô, Lorran (CAR)

Gols: Marcelo Régis, 17’/1ºT (1-0); Gilsandro (pênalti), 29’/1ºT (1-1); Layon, 34’/1ºT (1-2); Wilkson (pênalti), 33’/2ºT (1-3); Kauer, 40’/2ºT (2-3)

Árbitro: Leandro de Lima e Silva
Assistentes: José Carlos Batista de Arruda e Renato da Silva e Silva
Renda: R$ 5.500,00
Público: 400 pagantes (440 presentes).