Sequestrador de ônibus teria chegado vivo em hospital

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O homem que fez 37 passageiros reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói, na manhã desta terça-feira (20), não teria sido morto no momento que foi abatido pelo atirador de elite do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Diferente do que a Polícia Militar e o Governador Wilson Witzon informaram, após o desfecho do caso, o homem teria chegado com vida no Hospital Souza Aguiar, no Centro.

O homem, identificado como William Augusto Nascimento, desceu do coletivo e jogou um casaco para os policiais. Quando ia subir a escada, foi atingido.

A informação divulgada para a imprensa é de que William morreu no hospital depois de uma parada cardiorrespiratória.

Sobre o sequestro

37 passageiros foram feitos reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói, desde as 5h25. As primeiras informações diziam que ele teria sido morto por um atirador de elite quando desceu do coletivo.

Durante as negociações, seis pessoas foram soltas. Anteriormente, a PM falava em 22 sequestrados no total.

Não se sabe a motivação do sequestrador, mas a PM considera que a ação foi premeditada. Ele afirma ter um revólver, uma pistola de choque e o combustível.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.