Fotos do livro de Sebastião Salgado – Reprodução: Internet

“Retrato de Crianças no Êxodo” apresenta a realidade de migrantes, refugiados ou exilados em situações de extrema pobreza, repressão e de guerra. A obra ilustra através de um registo fotográfico feito por Sebastião Salgado, as maiores vítimas desse caos, as crianças. As fotografias reforçam os dados divulgados pela UNICEF em 2017, quase 28 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo deixaram suas casas por conta de conflitos.

Sebastião Salgado consegue apresentar por meio das fotografias totalmente preto e branco, na fotografia, as cores agem involuntariamente nas emoções do observador, na falta de cores, o que fica em destaque é a essência:  as sombras, as curvas, o olhar profundo . Os retratos inocentes e até mesmo ingênuos, de 90 crianças em uma realidade trágica, trazem a tona o poder da fotografia. Que pode guardar em seus elementos uma carga significativa de história, que vai muito além do que ela apresenta explícito em sua superfície. Apesar de não conhecermos a história daquelas crianças supomos uma realidade vivida por elas, através do semblante e de suas expressões.

O trabalho que é extremamente sensível e impactante, consegue capturar nossa atenção para a vulnerabilidade emocional destas crianças e nos faz refletir a ponto de pensar: Como é possível uma criança sorridente representar o infortúnio mais profundo? O autor afirma que a reação das crianças ao ver uma câmera é de empolgação, elas riem, acenam, saltam de entusiasmo e até empurram-se na esperança de serem fotografadas.

O livro se destaca também por retratar a história de crianças que vivenciaram e vivenciam situações iguais em lugares totalmente diferentes.  Lugares como Hutu, Goma, Zaire, Paris, Moçambique, Hong Kong e infelizmente no Brasil foram cenários para Sebastião Salgado conhecer detalhes desanimadores em todo o mundo. Isso é reforçado pelo autor, que afirma: “Mais do que nunca, sinto que a raça humana é somente uma. Há diferenças de cores,, línguas, culturas e oportunidades, mas os sentimentos e reações das pessoas são semelhantes. 

Outro detalhe presente nas fotografias são os olhares. eles chamam a atenção, pois mesmo com um sorriso em algumas fotos, eles transmitem medo, espanto, favor e carência. As vestimentas também nos ajudam a entender o contexto das crianças, estão sujas, rasgadas e folgadas e provavelmente foram doadas, devido o tamanho maior. Além disso, algumas crianças apresentam machucados o que reporta a condição física das mesmas.

Fotos do livro de Sebastião Salgado – Reprodução: Internet

Dentre as problemáticas que abrangem “Retratos de Crianças no Êxodo” no que diz respeito a pobreza, guerras e de suas consequências destacam-se, as carências nas áreas da educação, moradia e saúde. Essas carências não deveriam existir, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos da Criança de 1959, a qual assegura que a criança possui entre outros, o direito à alimentação, moradia e assistência médica adequadas para a criança e a mãe (Princípio IV) e a educação gratuita e ao lazer infantil (Princípio VII).

A cada página o fotógrafo consegue explorar a dor e de certa forma estetizar a trágica realidade vivida pelas crianças, para trazer aos nossos olhos a sua visão de mundo.