Foto: PMP

Seminário África em Nós | Prefeitura de Petrópolis lança Selo Escola Antirracista

O evento aconteceu no Instituto Teológico Franciscano nesta quarta-feira (23)
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Cerca de 200 pessoas participaram do Seminário África em Nós, promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, e que faz parte das ações e projetos da Educação Antirracista desenvolvida pelas unidades da rede municipal de ensino de Petrópolis. O evento aconteceu no Instituto Teológico Franciscano nesta quarta-feira (23), quando também foi lançado o Selo Escola Antirracista pelo coordenador da Igualdade Racial, Filipe Graciano, que será entregue para as unidades que se destacarem na luta contra o racismo na nossa cidade.

“Estamos avançando cada vez mais nessa luta por uma Petrópolis Antirracista. Me sinto muito feliz, depois de tudo que passamos, ver a nossa rede unida, mobilizada e produzindo algo tão bonito e importante. Estamos dando um passo importante para uma cidade cada vez melhor”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O coordenador da Igualdade Racial, Filipe Graciano explica que para ganhar o Selo Escola Antirracista será preciso passar por algumas etapas. “Hoje estamos fazendo o lançamento do Selo e a partir de 2023, as escolas precisam se inscrever no programa e participar de uma capacitação. Depois revisar o projeto pedagógico e participar da Escola Acolhedora divulgando o Disque Antirracismo”, disse o coordenador.

O Seminário África em Nós contou com apresentações musical (Deixa a Gira Girar com Carol Guerra) e de teatro com os alunos das escolas da Alcobaça, Germano Valente, Hercília Henriques Moretti e Stefan Zweig; além do espetáculo Deixa a Gira Girar com Carol Guerra. O evento também contou com a exposição de quadros e de fotografias do projeto “Ubuntu Awo Mi”, desenvolvido este ano nas unidades.

“Foram cinco anos sem essa pauta antirracista na cidade e a Educação é fundamental para o desenvolvimento dessa política”, ressaltou a secretária chefe de gabinete e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Luciane Bomtempo. Durante o evento ela também anunciou que a exposição dos quadros e fotografias será levada para outros espaços para que toda a população tenha acesso.

A programação do Seminário África em Nós também contou com a palestra da escritora Luana Rodrigues, como tema “Literatura Afrorreferenciada: um caminho para uma escola verdadeiramente antirracista”. “Se formarmos alunos antirracista toda a sociedade será antirracista”, disse a escritora. Um dos livros de Luana, “A Luz de Aisha”, faz parte do projeto Afroteca, desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, com parte das ações de uma Educação Antirracista. “Ninguém nasce racista e é preciso trabalhar isso desde a primeira infância para que tenhamos uma bandeira que esteja cada vez mais a favor da valorização da diversidade”, disse a secretária de Educação, Adriana de Paula.

O Seminário África em Nós também contou com a palestra da professora Érika Frazão com o tema “Currículo democrático e relações étnico raciais” e do Instituto Pretos Novos com “Circuito Histórico de Herança Africana”. Também participaram do evento o vice-prefeito Paulo Mustrangi, o vice-presidente do Conselho Municipal de Proteção da Igualdade Racial (Compir), professor José Luiz, do vereador Gil Magno, de secretários municipais e profissionais de Educação.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.