A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias registrou 11 ocorrências em virtude da chuva na madrugada desta quinta-feira (15.03). Foram seis deslizamentos de terra, sendo que dois aconteceram nos fundos das residências: uma na Estrada do Contorno, no Bingen, e outro na Estrada Mineira, em Corrêas. Barreiras também foram registradas na Rua Pernambuco, no Quitandinha, na Rua Alcebiades Barbosa, no Samambaia e na Estrada Mineira, mas em nenhum dos casos a pista está interditada. Houve também um rolamento de bloco rochoso na Rua Nelson Ferreira Soares, no Nova Cascatinha, interrompendo a passagem de veículos. Em nenhum dos casos houve feridos.

Também foi registrada a queda de uma de árvore na Estrada Mineira, além de pedidos de vistorias preventivas e alagamentos. Nas últimas 24 horas choveu 81 milímetros na Rua 24 de Maio, sendo o maior índice pluviométrico, seguido pela Rua João Xavier, com 76mm no mesmo período. Neste momento, a Defesa Civil está em estágio de vigilância.

Existe a previsão de novas pancadas de chuva ao longo do dia. A secretaria orienta à população a ter atenção em função dos acumulados que deixam o solo encharcado.

“É fundamental que a população que vive em uma área de risco tenha atenção redobrada, já que existe a previsão que a chuva continue ao longo do dia. Os moradores devem ligar para o 199 e informar caso tenham alguma ocorrência”, afirma o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, reforçando que o contingente de 60 agentes permanece de plantão 24h para realizar os atendimentos a população.

Em caso de qualquer sinal de instabilidade no imóvel ou terreno, o morador deve ligar para o telefone 199 e pedir uma vistoria preventiva à Defesa Civil. A ligação e o serviço são gratuitos.

Sirenes do Sistema de Alerta e Alarme
Todos os 20 conjuntos de sirenes do Sistema de Alerta e Alarme da cidade estão funcionando normalmente. Técnicos da Defesa Civil acompanharam os índices de chuva durante toda a madrugada. Os equipamentos não foram acionados já que os índices pluviômetros não atingiram os protocolos necessários para que as sirenes tocassem.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Iasmin Borges