A Secretaria do Ambiente e o Inea (Instituto Estadual do Ambiente), que aderiram ao Programa de Eficiência Energética, já sentem a diferença nos orçamentos: de setembro a novembro, os custos da área energética no prédio da instituição diminuíram em 14,29%.

O projeto foi iniciado através de uma chamada pública de 2015, da Concessionária de Energia Elétrica Light. A secretaria e o Inea apresentaram interesse e atenderam aos requisitos exigidos para as mudanças. O custo foi em torno de R$ 240 mil, sendo que a maior parte ficou a cargo da própria Light. Coube à Secretaria do Ambiente e ao Inea uma contrapartida referente à execução operacional (substituição das lâmpadas) e à aquisição dos equipamentos do sistema fotovoltaico.

A empresa Krasnrer realizou a instalação de 22 painéis fotovoltaicos no telhado do prédio para a geração de energia solar e a empresa de manutenção RJL2 do Inea foi responsável pela instalação de 2.209 lâmpadas LED em substituição às lâmpadas fluorescentes, que receberam descarte ecológico adequado, pela empresa ECoAssist.

O projeto foi finalizado no início de agosto pela Light e pela empresa parceira Casa do Futuro.

– Em pouco tempo, as mudanças já refletem na conta de luz. O importante desse projeto, além da parte financeira, é o benefício ambiental, por diminuir a emissão de gases de efeito estufa. O custo de troca das lâmpadas também é mais baixo – disse o assessor da Superintendência de Mudanças do Clima da Secretaria do Ambiente, Paulo Nemy.

Com as placas fotossensíveis, mesmo quando não há atividades no prédio, o sistema gera energia, que é aproveitada posteriormente.

– Vamos levar a iniciativa para o Centro Cultural Encontro das Águas, que recebe treinamentos e ações culturais – afirmou Nemy.

Fonte: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO