Secretaria de Saúde do Rio, entrega sétima remessa de Coronavac para Petrópolis e demais municípios

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) da SES reforçou, por meio de ofício enviado aos 92 municípios, a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) dá prosseguimento, nesta quinta-feira (11), a distribuição da sétima remessa de vacinas contra Covid-19 aos 92 municípios do estado. Na noite desta terça-feira (9), o Ministério da Saúde realizou a entrega de 261.800 doses de CoronaVac ao estado do Rio de Janeiro, que começou a entrega no dia seguinte. Dessas, 130.900 serão distribuídas para aplicação da primeira dose do esquema vacinal. Além deste total, a SES distribuirá mais 20 mil vacinas de CoronaVac para aplicação da segunda dose do lote enviado em 19 de fevereiro.

As cidades do Rio, Niterói, São Gonçalo e Maricá realizaram na quarta-feira (10) a retirada das doses por via terrestre, na Coordenação Geral de Armazenagem (CGA) da SES, em Niterói. Nesta quinta-feira (11), quatro helicópteros, sendo um da Secretaria de Saúde, um do Corpo de Bombeiros, um do Governo do Estado e um da Polícia Militar, realizarão a entrega para os outros 88 municípios.  

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) da SES reforçou, por meio de ofício enviado aos 92 municípios, a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação, priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidose seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.

Público prioritário

A SES esclarece que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), por meio de decisões tomadas por comissão tripartite. O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por:

– Profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação;

– Pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos;


– Pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas;


– Trabalhadores dessas instituições;


– Povos indígenas vivendo em terras indígenas;


– Idosos a partir de 75 anos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também