Rodoviários cancelam paralisação após negociação com Turb

Sindicato dos Rodoviários convocará assembleia para decidir nova data da paralisação ou se decide por fazer greve
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Petrópolis divulgou na manhã deste domingo (9), que se reuniu com os responsáveis pela Turb Petrópolis e decidiram, após negociação com a empresa, cancelar a paralisação marcada para ocorrer nesta terça-feira (11).

Segundo o Sindicato, a empresa Turb Petrópolis prometeu quitar os pagamentos atrasados em aproximadamente 15 dias e para a próxima sexta-feira (14) a empresa fará a entrega das Cestas Básicas.

Confira o comunicado do Sindicato:

Neste sábado, a empresa Turbe Petrópolis se manifestou sobre a notícia de paralisação dos rodoviários. Segundo a empresa, a grave crise econômica e financeira está impedindo a mesma de honrar com seus compromissos. A empresa de ônibus tem buscado apoio da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), para redução de custos operacionais ou para encontrar uma alternativa de custeio para as despesas. Confira o comunicado da empresa na íntegra:

POSICIONAMENTO TURB PETRÓPOLIS

A Turb Petrópolis vem a público informar que a grave crise econômica e financeira que atinge a empresa e o sistema de transporte, desde o fim do mês de março deste ano, está impedindo a mesma de honrar com seus compromissos mais elementares, como arcar integralmente com os custos da folha de pagamento de seus colaboradores, realizar pagamentos de fornecedores de peças e risco eminente de não ter recursos para compra de óleo diesel para a circulação dos ônibus.

A Turb vem tentando o diálogo com a Prefeitura e CPTrans, desde abril, em busca de redução de custos operacionais ou para encontrar uma alternativa de custeio para as despesas elementares para a operação dos ônibus, mas até o presente momento, nenhum dos ofícios encaminhados à Prefeitura e à CPTrans foram respondidos. Sem qualquer resposta ou ajuda, com queda de mais de 50% na demanda de passageiros e sem redução dos custos na mesma proporção, a situação se tornou insustentável e a operadora se viu obrigada a adotar o pagamento parcial dos vencimentos de seus colaboradores, situação jamais vivenciada por nenhuma empresa de todo o grupo que a Turb Petrópolis faz parte.

“Essa é a pior situação possível para uma empresa, quando falta recurso para pagamento integral dos funcionários e acúmulo de dívidas com fornecedores. É indicativo de que caminhamos para o colapso de um serviço essencial”, lamentou Jean Moraes, diretor da Turb Petrópolis.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.