Foto: Alexandre Macieira/Riotur

Rock in Rio pode virar patrimônio cultural imaterial do Estado

Título aprovado pela Alerj depende de sanção do governador
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Reconhecido como um dos maiores festivais musicais do planeta, o Rock in Rio poderá ser declarado como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. O projeto de lei com o pedido, iniciativa da deputada Alana Passos (PSL), foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), na sessão desta quinta-feira (17). O título depende agora da sanção do governador Cláudio Castro (PL).

“Não há dúvidas de que o festival é uma manifestação cultural conhecida no mundo inteiro. Atrai um número significativo de turistas, movimenta a economia tanto carioca quanto fluminense, gerando emprego, renda e principalmente cultura ao nosso estado. Por isso, tem mérito para ganhar o título”, defende Alana, presidente da Comissão de Turismo da Alerj.

O Rock in Rio teve 20 edições desde 1985, ano de seu lançamento. Segundo dados dos organizadores, o festival já escalou 2.301 artistas nacionais e internacionais, já levou 10,2 milhões de pessoas à plateia e gerou 237,5 mil empregos.

“O Rock in Rio traz renda para hotéis e restaurantes . O festival é um patrimônio não só do Estado, mas do Brasil”, afirma a deputada Adriana Balthazar (Novo), vice-presidente da Comissão de Turismo.

Deputada Adriana Balthazar (Novo), vice-presidente da Comissão de Turismo.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.