Foto: Isabela Faria: https://instagram.com/p/0J1eupBznh/

Rio: Ônibus devem ficar com janelas abertas e sem ar-condicionado durante o verão

Veículos que possuem as janelas vedadas deverão estar limpos

Os ônibus que circulam na cidade do Rio de Janeiro devem manter as janelas abertas e ar-condicionado desligados mesmo com a aproximação das altas temperaturas do verão carioca. Segundo a Prefeitura do Rio, a intenção de acordo é diminuir as chances de contaminação pelo novo coronavírus no interior dos coletivos.

A medida proposta pela Secretaria Municipal de Transporte (SMTR) tem como base a resolução 42 do próprio órgão, publicado no Diário Oficial do dia 25 de junho. As regras foram estabelecidas para adequar o transporte público por ônibus na cidade ao Plano de Retomada da Cidade do Rio de Janeiro em função dos impactos da pandemia de Covid-19.

A recomendação para que os coletivos utilizem janelas abertas no lugar dos aparelhos de ar condicionado deve durar toda a pandemia do novo coronavírus. E além das janelas, os alçapões também devem permanecer abertos.

Veículos com janelas vedadas

Há veículos que possuem as janelas vedadas, o que leva à utilização do ar-condicionado. Nesses casos, a SMTR afirma que os sistemas de refrigeração deverão estar limpos.

“A manutenção dos sistemas de climatização deve estar em dia, como forma de garantir as boas condições de qualidade do ar. O objetivo é preservar os passageiros que utilizam o transporte coletivo, bem como os motoristas, assegurando a renovação do ar dentro do ônibus”, explicou o órgão, por meio de nota à imprensa.

Atualmente, segundo números da própria SMTR, entre 75% e 80% dos 4.987 ônibus que trafegam na cidade do Rio estão climatizados.

“A climatização da frota faz parte do Termo de Conciliação assinado entre o município e os consórcios, que vem sendo reavaliado por uma Comissão de Trabalho, criada para tratar, acompanhar e fiscalizar os itens firmados, considerando os impactos da pandemia sobre o setor de transportes, bem como os protocolos sanitários estabelecidos”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também