Rio de Janeiro adota tecnologia que previne sequestro e troca de bebês nas maternidades

Inédita no mundo, a biometria neonatal em alta definição foi desenvolvida no Brasil e será implantada no Complexo Hospitalar de Niterói.

O Complexo Hospital de Niterói (CHN), considerado o maior conglomerado de saúde do Rio de Janeiro, é o primeiro do estado a implantar uma tecnologia inédita no mundo, que permite a identificação biométrica ainda na sala de parto. Desenvolvida pela empresa brasileira Natosafe, a plataforma INFANT.ID faz captura, análise e exportação de digitais em alta definição desde o minuto zero de vida de uma criança.

A solução é capaz de gerar um vínculo único entre recém-nascidos e mães e as informações coletadas são enviadas para as autoridades públicas. O scanner utilizado pela plataforma foi certificado pela agência policial norte-americana FBI (Federal Bureau of Investigation).

O Brasil registra pelo menos 50 mil desaparecimentos de crianças e adolescentes por ano e cerca de 500 bebês são trocados nas maternidades do país. Esses casos possuem poucas chances de identificação pela ausência de biometria com alta definição. Os números podem ser ainda maiores por causa da subnotificação.

A Portaria 248, publicada pelo Ministério da Saúde em fevereiro de 2018, prevê que as Declarações de Nascidos Vivos (DNV) devem ser vinculadas ao registro biométrico do recém-nascido e de sua mãe. “Apesar da legislação, não existia uma solução capaz de capturar as digitais de recém-nascidos com qualidade que permitisse a identificação dos bebês. A nova tecnologia captura digital em alta definição desde o minuto zero de vida, inclusive dos prematuros, atendendo aos requisitos de compatibilidade, rastreabilidade, unicidade e segurança da informação”, explica o CEO da Natosafe, Ismael Akyiama.

O scanner biométrico desenvolvido pela Natosafe foi batizado de NILMAONE e pode ser usado por maternidades, hospitais, postos de vacinação, clínicas médicas, centros e institutos de identificação, cartórios de registro civil e até no controle de fronteiras. A plataforma garante alta resolução de imagem e ergonomia, o que permite precisão e facilidade na hora de usar. “Essa biometria irá enriquecer um banco de imagens com padrões de alta qualidade, facilitando pesquisas com maior precisão, contribuindo para a erradicação de sub-registro e garantindo a segurança das crianças brasileiras”, ressalta Akyiama.

Cada impressão digital identifica uma única pessoa. Por isso, a biometria é usada nos principais documentos de identificação e é uma importante aliada na solução de crimes. As falhas na identificação biométrica acontecem em todo o mundo e contribuem para a vulnerabilidade do sistema, expondo a risco especialmente as crianças, que são as principais vítimas de sequestro, tráfico internacional para exploração sexual e adoção ilegal.

“A utilização da biometria para identificação dos recém-nascidos é mais um recurso tecnológico de ponta aliado à nossa segurança assistencial. Neste sentido, a maternidade CHN é primeira do estado do Rio de Janeiro a dispor de tal recurso. O sistema proporciona ainda mais comodidade à nossas pacientes que podem ficar despreocupadas, pois a identificação é única entre elas e seus bebês.  “, reforça a dra. Daniela Gomes Machado Selano, ginecologista e obstetra, coordenadora da Maternidade do CHN.

O Brasil é o primeiro país a contar com a tecnologia que permite captura, análise e exportação de digitais em alta definição de recém-nascidos. O sistema desenvolvido em Curitiba, onde fica a sede da empresa, já foi adotado pelos governos de Goiás, Pernambuco, Mato Grosso e Santa Catarina.

Como funciona:

A plataforma INFANT.ID é composta por um conjunto de Serviços Biométricos que permitem a captura, autenticação e identificação biométrica de um recém-nascido minutos após o nascimento, ainda dentro da sala de parto. O scanner biométrico NILMAONE é utilizado para captura das digitais, palmares e plantares do recém-nascido e digitais da mãe, resultando em uma imagem de alta definição.

O design ergonômico do scanner NILMAONE permite que um único operador (enfermeiras, peritos etc.) seja capaz de realizar esta coleta.

Um computador configurado com a inteligência artificial da Natosafe, que faz a análise das imagens em tempo real, garante que as coletas sejam executadas de forma automática e com a qualidade essencial para a futura rastreabilidade, unicidade e identificação desta criança. 

Os dados coletados na maternidade são transmitidos por uma rede segura e protegida por criptografia para serem armazenadas nos institutos de identificação do seu respectivo estado.

Nos institutos de identificação, um sistema apresenta estas imagens aos peritos que podem efetuar suas análises já com indicações de minúcias para auxiliar no processo de identificação, investigações, emissões de documentos e futuramente controle de fronteira. Todo o processo garante a rastreabilidade do recém-nascido e da mãe.

Sobre a Natosafe:

A Natosafe é uma empresa brasileira criada com o propósito de contribuir para um mundo mais seguro. Pioneira no segmento “INFANT ID”, ou solução de identificação infantil, a companhia se dedica ao desenvolvimento de tecnologias de identificação biométrica para crianças de 0 a 5 anos. A plataforma INFANT.ID é a primeira no mundo capaz de coletar impressões digitais com alta qualidade desde as primeiras horas de vida de um bebê.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também