Mais de 600 apartamentos do conjunto do Minha Casa Minha Vida no Vicenzo Rivetti estão prontos, o que  representa 86% de conclusão da obra. Nesta quarta-feira (28.02), o prefeito Bernardo Rossi fez uma vistoria no local ao lado de representantes da Caixa Econômica Federal, que ressaltaram a qualidade da obra – que se vê atualmente em conjuntos de padrão mais alto dentro do programa em todo país.

O conjunto do Vicenzo Rivetti é o primeiro MCMV faixa 1 e é destinado para famílias de baixa renda (até R$ 1,8 mil por mês). As 776 unidades – total a serem entregues –  vão beneficiar quem recebe auxílio após terem perdido casas, principalmente na tragédia de 2011. Os beneficiados serão selecionados pela Caixa.

“Os apartamentos que são construídos hoje em dia na faixa 2 ou até na faixa 3 tem a metragem que este empreendimento aqui do Vicenzo Rivetti tem (49 m²). Isso significa um conforto acima da média, com quartos maiores, cozinha mais ampla. Também é possível ver uma distância grande nos corredores, lixeiras espaçosas”, destacou o gerente da superintendência regional Centro Leste Fluminense, Felipe Foureaux de Siqueira.

“O Vicenzo Rivetti é o maior programa habitacional da história do município e vai beneficiar famílias que esperam há muitos anos para reconstruir suas vidas com a casa própria. A prefeitura já está caminhando com toda a infraestrutura e questões sociais”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

A infraestrutura de entorno, com pavimentação e drenagem, já está com os primeiros procedimentos realizados pela empresa responsável, a Gravisa – já foi feita toda topografia e marcação da rua para a intervenção ter início. As contrapartidas de gestão condominial e de trabalho técnico-social também já foram licitadas pela prefeitura.

Na terça-feira (27.02), o prefeito esteve em Brasília para articular com o Ministério das Cidades a liberação de recursos previstos pelo programa para a implantação de equipamentos urbanos como creche e unidade de saúde para atender a demanda que vai crescer com a chegada dos futuros moradores.

Por parte da AB Construtora responsável pelos imóveis, além dos apartamentos restantes, ainda faltam também fazer a rede de água e esgoto, pavimentação e sistema de drenagem dentro do empreendimento. Os blocos ainda terão quadra esportiva, parquinho infantil e salão de festa para oferecer opções de lazer para os futuros moradores.

Os trabalhos no terreno ficaram paralisados por três anos, desde 2014, e, no ano passado, após a entrada da AB Construtora, a obra ganhou ritmo e se tornou uma das mais rápidas do país no programa Minha Casa Minha Vida. Em janeiro, o local era tomado por mato e, agora, se aproxima do momento de entrega das chaves.

“Esta é uma obra de nível bem acima da faixa 1, e isso se vê não só na fundação e nos acabamentos, mas os espaços foram concebidos com alta qualidade, por exemplo, de iluminação natural e ventilação”, ressaltou o presidente do Sindicato das Empresas da Construção Civil de Petrópolis (Sinduscon Petrópolis), Ricardo Francisco, que acompanhou a vistoria nesta quarta.

O gerente da Caixa em Petrópolis, Petrônio Garcia, também destacou a importância do projeto habitacional para a cidade. “Este projeto é altamente positivo para o município, pela qualidade da obra, pelos apartamentos e, principalmente, porque Petrópolis não tem uma tradição de programas habitacionais voltados para faixa mais baixa de renda, como este. Além disso, é uma resposta que está sendo dada pelo governo depois de tanto tempo de espera após o caos de 2011”, afirmou.

O vice-prefeito Baninho; a secretária de Assistência Social, Denise Quintela; o diretor de Habitação e Regularização Fundiária, Antônio Neves; o presidente da Câmara, Paulo Igor, e o vereador Dudu também estiveram no Vicenzo Rivetti nesta quarta.