O ICMBio informa que o fundador do grupo que assumiu a autoria e responsabilidade pela instalação de uma bandeira de grandes dimensões na encosta do Corcovado foi multado e poderá responder por crime ambiental.

A alteração do aspecto de local com valor paisagístico especialmente protegido por Lei é crime previsto no artigo 63 da lei de Crimes Ambientais (Lei 9605/1998). A multa de 100 mil reais está baseada no artigo 73 do decreto 6514/2008, que define o valor da multa para essa infração entre 10 e 200 mil reais, agravado por se tratar de unidade de conservação federal, tendo o valor dobrado conforme o artigo 93 do mesmo decreto.

O Penhasco do Corcovado é tombado pelo IPHAN como patrimônio nacional, assim como todo o Parque Nacional da Tijuca. Além disso, o monumento do Cristo Redentor e seu entorno são tombados pelo município do Rio de Janeiro e todo o Parque Nacional da Tijuca compõe o sítio reconhecido pela UNESCO, em 2012, como patrimônio mundial na categoria paisagem cultural.

Os escaladores que instalaram a bandeira perfuraram a rocha desrespeitando os procedimentos definidos pelo Parque Nacional da Tijuca para abertura de vias de escalada e danificaram a vegetação fixada na encosta. Após a aplicação da multa pelo ICMBio o processo será encaminhado ao Ministério Público Federal para possível apresentação de denúncia por crime ambiental. Outros participantes da ação também poderão ser responsabilizados.

Fonte: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio

Crédito da foto: Marcos Ramos / Agência O Globo