“A sirene está instalada dentro do colégio. Como já vamos abrir o ponto de apoio, podemos acionar o equipamento também. É rápido e certo que a sirene vai estar tocando”, garante Eliane Soares, diretora da Escola Municipal Dr. Rubens de Castro Bomtempo, ponto de apoio do Vila Felipe. Com todas as 20 sirenes do Sistema de Alerta e Alarme do município funcionando, a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias preparou uma novidade: na próxima quarta-feira (07.02), às 10h, todos os 45 responsáveis pelos pontos de apoio cadastrados no órgão municipal recebem a cópia da chave de acionamento dos equipamentos. O objetivo é simples: garantir que o sistema funcione no momento das fortes chuvas.

Além das chaves, os responsáveis passam por uma capacitação na Sala de Cooperação da Defesa Civil no mesmo dia. A ação faz parte do Plano Verão 2018 de Petrópolis e está inserida no SOS Chuvas, programa da prefeitura que conta com o apoio de 50 estudantes de quatro universidades atuando em prevenção junto à prefeitura.

“Estamos compartilhando a autoridade com os cidadãos que, empoderados, atuarão como protagonistas na redução do risco de desastres. Esse é mais um passo na busca de uma cultura preventiva contra os desastres em Petrópolis. A Defesa Civil somos todos nós”, afirma o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

Ângela Ramos Lima, responsável pelo ponto de apoio na João Xavier, no Bingen, elogiou a entrega das chaves. Segundo ela, é mais fácil quem estiver no local fazer o acionamento no momento em que a Defesa Civil solicitar. “Caso a internet esteja com problema, como fica? Essa ação garante que a sirene vá tocar na hora em que for necessário”, disse.

A cidade conta com 20 conjuntos de sirenes espalhados por 12 localidades do município: Gentio, Buraco do Sapo, 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe. São 15 pontos de apoio, cada um com três responsáveis pela abertura.

“As sirenes são as melhores ferramentas de prevenção que o município possui, já que possibilitam que moradores de áreas de risco sejam avisados com rapidez sobre a urgente necessidade de sair de casa e procurar pelo ponto de apoio do bairro”, afirma Paulo Renato.

O trabalho de conscientização conta com o apoio dos estagiários do projeto SOS Chuvas. O programa lançado pela prefeitura em novembro do ano passado tem o objetivo de reduzir os prejuízos causados pelas chuvas de verão, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Estácio de Sá (Unesa) e a Universidade Católica de Petrópolis (UCP), que disponibilizaram universitários voluntários para trabalhar em três áreas: Defesa Civil, Obras e Meio Ambiente.

A prefeitura também segue com um calendário de operações nas comunidades da cidade que contam com as sirenes. Estão sendo distribuídas cartilhas de prevenção aos desastres naturais, além das trocas das placas de sinalização dos pontos de apoio dos bairros. Até o momento, os agentes da Defesa Civil já visitaram oito locais: Independência, Dr. Thouzet, Vila Felipe, Sargento Boening, Siméria, São Sebastião, Quitandinha e João Xavier. Na próxima terça-feira as ações acontecem no Gentio e Buraco do Sapo. O encerramento do trabalho é na quinta (07.02) na Praça Dom Pedro, no Centro.