Representantes da sociedade civil e governo municipal abrem XII Conferência Municipal de Assistência Social Evento aberto nesta sexta-feira debaterá a criação de políticas públicas em Assistência Social para o município

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A abertura da XII Conferência Municipal de Assistência Social teve casa cheia nesta sexta-feira (20.09), na Casa dos Conselhos. Representantes do poder público, da sociedade civil e de entidades especializadas deram início às discussões que resultarão em propostas a serem levadas para a conferência estadual e federal, para estabelecer políticas públicas para o município. Os debates terão continuidade neste sábado no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), no Quitandinha, das 9h às 18h. O evento é realizado a cada dois anos e é aberto ao público.

 

Este ano o evento superou o número de inscritos com 240 participantes. Na última edição, em 2017, a conferência teve a presença de 170 pessoas. “Muito gratificante ver esse maior engajamento da população, estando atuante e voltada para a busca  de propostas que visam dar maior amparo para as pessoas em risco social”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.  Estiveram à frente da Conferência o secretário chefe de Gabinete, Renan Campos; a secretária de Assistência Social, Denise Quintella; e o presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), Rodrigo Lopes. 

 

O evento teve início com apresentação cultural de usuários de projetos sociais mantidos com o apoio de convênios com o município e teve palestra sobre o tema central, “O direito do povo com financiamento público e participação social”. “Esse é um momento importante em que o poder público e a sociedade civil se juntam para traçar caminhos e ações para o estabelecimento de políticas públicas para o município”, reforçou a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

 

A abertura do evento contou com grande presença de profissionais da área de assistência social, de entidades representativas e usuários de projetos sociais do município. “Essa é uma iniciativa muito importante, são discussões muito necessárias tendo vista esse momento em que o Brasil vem passando por mudanças”, destaca o conselheiro do CMAS, Cláudio de Souza Júnior, representante do Projeto social C3.

 

O evento vai debater sobre o financiamento público na manutenção de projetos que atendam a população em risco social. Além dos representantes, os usuários de projetos sociais mantidos no município tiverem presença marcante. Sônia Aparecida de Oliveira, de 56 anos, não faltou ao evento com sua filha, que tem síndrome de down e há 15 anos é acompanhada pelo APAE. “O projeto foi e continua sendo muito importante para o desenvolvimento da minha filha. Não sei o que seria da minha filha se não fosse esse projeto”, conta a mãe de Gabriele, que destacou o quanto o projeto é bom para a sua vida. “Eu gosto muito de todas as atividades.O projeto é muito importante para mim”, frisa Gabriele.

 

“Importante ver todas essas pessoas nesse e evento, onde vamos discutir propostas para a criação de políticas públicas que irão fortalecer o município para a melhor assistência às pessoas que mais necessitam.  A parte daqui, sairão temas a serem debatidos em âmbito estadual e federal”, pontuou o secretário chefe de gabinete, Renan Campos.

 

Realizada a cada dois anos, a Conferência é aberta para a sociedade civil, profissionais de Assistência Social, representantes de entidades e organizações relacionadas, representantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário, educadores e participantes de conselhos.

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.