Reprodução de vídeo

Repórter da Globo é mantida refém na sede da emissora no RJ

A Globo informou que Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Um homem invadiu a TV Globo na tarde desta quarta-feira (10/06) e manteve a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a Polícia Militar. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu rapidamente à emissora e conduziu a negociação.

O sujeito teria entrado na sede do canal, no bairro Jardim Botânico, gritando “Globo lixo”. De acordo com um cinegrafista que esteve no local, todos os funcionários ficaram isolados, presos no andar onde funciona a GloboNews.

O homem estava armado com um facão e beijava a cabeça da repórter enquanto apontava a arma para o pescoço dela. O sujeito estaria à procura da jornalista Renata Vasconcellos, com quem queria conversar. Nesta quarta-feira, é aniversário da jornalista, âncora do Jornal Nacional.

Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente.

A Globo informou que Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem.

A emissora, em nota, repudiou o ataque e descartou que tal episódio tenha sido causado com cunho político. “A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos”.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.