Renault lança seu modelo 2018 para a F1 Time busca o tri de construtores

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A montadora francesa Renault, que mesmo com suas idas e vindas como equipe de F1 ou fornecedora de motores, tem uma história bonita e vitoriosa no esporte a motor, com destaque para a Fórmula 1, apresentou seu chassi para esta temporada, com novidades.

O carro deixa de ser predominantemente amarelo e passa a usar a cor negra, com detalhes em amarelo, o time contará com o alemão Nico Hulkenberg e o espanhol Carlos Sainz Jr, sendo uma dupla considerada promissora, apesar do alemão estar na F1 desde 2010 e de Sainz Jr, que foi um dos destaques nas categorias de base do automobilismo ainda não ter emplacado uma grande temporada na categoria.

A Renault estreou em 1977 na F1, como time permaneceu até o ano de 1985, com algumas vitórias, o destaque foi ter revelado Alain Prost, primeiro e único francês a vencer o mundial de pilotos, dos seus quatro títulos mundiais, nenhum foi pelo time francês, mas nele conquistou o vice-campeonato de 1983 e suas primeiras vitórias.

Forneceu motores a diversas equipes que venceram mundiais de pilotos e construtores como Lotus, Williams, Benneton e Red Bull, equipando máquinas pilotadas por corredores como Nigel Mansell, Alain Prost, Ayrton Senna, Sebastian Vettel e Michael Schumacher.Com um motor da equipe Senna venceu sua primeira corrida na f1, numa Lotus em 1985, em Portugal e morreu no acidente do GP de San Marino de 1994.

A montadora francesa teve uma segunda passagem em 2002 quando comprou a Benneton, nela vieram seus únicos títulos mundiais de pilotos e construtores nos anos de 2005 e 2006, além de ser bi-campeã como equipe fez do espanhol Fernando Alonso, vencedor em 2005 e 2006 do mundial de pilotos, o time durou até 2011, quando a Lotus Cars, comprou o time, que utilizou os motores franceses até 2014.

Com problemas financeiros e consequentemente de produtividade em 2016 a Renault reassumiu a estrutura da Lotus e assim permanece desde então, ao longo de sua história o time venceu 35 provas, marcou 51 poles e teve em 31 oportunidades o piloto com a volta mais rápida de uma prova.

( imagem retirada do site Sky Sports)

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.