Foto: Reprodução

Reino Unido abre investigação após emitir alerta para casos de reações adversas da vacina Pfizer

Segundo o órgão responsável pela regulação de medicamentos do Reino Unido pessoas que possuam qualquer histórico de reações alérgicas "significativas" a alimentos ou medicamentos não devem tomar a vacina no momento
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Por Guilherme Campbell

Depois de dois casos de notificados de reações alérgicas em membros do serviço nacional de saúde apresentarem reações “adversas” a vacina. O conselho foi emitido “por precaução” e as pessoas que tiveram as reações se recuperaram, disse o professor Stephen Powis, diretor médico do Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra. A Pfizer e a BioNTech disseram que estão trabalhando com os investigadores “para entender melhor cada caso e suas causas”.

Segundo comunicado ambos os membros da equipe têm um histórico significativo de reações alérgicas, a ponto de precisarem carregar consigo um auto injetor de adrenalina, entende-se. Eles desenvolveram sintomas de “reação anafilactoide” logo após receberem a vacina, mas ambos se recuperaram após o tratamento adequado.

Em entrevista, o ex-presidente da Sociedade Britânica de Imunologia, Peter Openshaw disse que era importante “colocar o risco em perspectiva”. E “Como acontece com todos os alimentos e medicamentos, há uma chance muito pequena de uma reação alérgica a qualquer vacina”, disse ele. “No entanto, é importante colocarmos esse risco em perspectiva. A ocorrência de qualquer reação alérgica foi um dos fatores monitorados na fase três do ensaio clínico desta vacina Pfizer / BioNTech Covid-19, cujos dados detalhados foram divulgados ontem.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.