Foto: Reprodução

Reino Unido abre investigação após emitir alerta para casos de reações adversas da vacina Pfizer

Segundo o órgão responsável pela regulação de medicamentos do Reino Unido pessoas que possuam qualquer histórico de reações alérgicas "significativas" a alimentos ou medicamentos não devem tomar a vacina no momento

Por Guilherme Campbell

Depois de dois casos de notificados de reações alérgicas em membros do serviço nacional de saúde apresentarem reações “adversas” a vacina. O conselho foi emitido “por precaução” e as pessoas que tiveram as reações se recuperaram, disse o professor Stephen Powis, diretor médico do Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra. A Pfizer e a BioNTech disseram que estão trabalhando com os investigadores “para entender melhor cada caso e suas causas”.

Segundo comunicado ambos os membros da equipe têm um histórico significativo de reações alérgicas, a ponto de precisarem carregar consigo um auto injetor de adrenalina, entende-se. Eles desenvolveram sintomas de “reação anafilactoide” logo após receberem a vacina, mas ambos se recuperaram após o tratamento adequado.

Em entrevista, o ex-presidente da Sociedade Britânica de Imunologia, Peter Openshaw disse que era importante “colocar o risco em perspectiva”. E “Como acontece com todos os alimentos e medicamentos, há uma chance muito pequena de uma reação alérgica a qualquer vacina”, disse ele. “No entanto, é importante colocarmos esse risco em perspectiva. A ocorrência de qualquer reação alérgica foi um dos fatores monitorados na fase três do ensaio clínico desta vacina Pfizer / BioNTech Covid-19, cujos dados detalhados foram divulgados ontem.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também