Regras de trânsito são evidenciadas de forma lúdica para 350 estudantes da rede municipal

Ação, que faz parte do Maio Amarelo, levou brincadeiras e informações aos pequenos

A rotina de 350 estudantes de sete instituições de ensino foi alterada nesta quinta-feira (30.05): de forma lúdica, as crianças aprenderam sobre às regras do trânsito numa ação do Maio Amarelo realizada na Germano Valente. No espaço foi montado uma mini cidade onde as crianças faziam o papel dos pedestres e dos próprios veículos. Houve, também, oficina de desenhos sobre o cuidado com os animais no trânsito e na rua, cinema com vídeos educativos e oficinas de placas de trânsito.

Dividido em dois turnos, as crianças participaram das ações desde às 9h. São estudantes dos CEIs Comac e Tina Grazinoli, e das EM Carlos Canedo, EM Germano Valente, EM Paulo Freire, EM Clemente Fernandes e EM Abelardo de Lamare. A intenção da CPTrans ao levar às crianças é para que elas aprendem desde a infância as regras de trânsito e que sejam, dentro de suas casas, agentes multiplicadores.

“De maneira geral podemos dizer que as ações do Maio Amarelo tiveram um apelo muito forte às crianças, com ações desenvolvidas voltadas a este público e que somam mais de 4 mil estudantes de diversas escolas impactadas com a iniciativa. Essa ação é mais uma delas, que destaca o papel fundamental desse público”, disse o diretor-presidente da CPTrans, Jairo Cunha. “Essa quebra de rotina, aliada ao conhecimento adquirido de forma lúdica, é uma experiência muito positiva para as crianças, que vai ter um resultado muito positivo no dia a dia delas”, completa a secretária de Educação, Marcia Palma.

E foi nesse espírito que o pequeno Miguel Zauza Lemmek, de 5 anos, falava sobre a importância de atravessar na faixa de pedestres, ter cuidado com os animais nas ruas, “que devem sempre estar na coleira”. “Eu achei muito legal e vou contar para minha família quando chegar em casa. Gostei de ser a bicicleta ali na mini cidade”, disse o menino, que estuda no CEI Comac.

A diretora da EM Carlos Canedo, de Barra Mansa, que atende estudantes do 3 º período ao 5 º ano fundamental destacou a importância desse tipo de trabalho para o desenvolvimento no aprendizado dos alunos. “Estamos o mês inteiro trabalhando o tema do Maio Amarelo na escola e essa mudança de ambiente trabalha a sociabilidade e convivência ao mesmo tempo que agrega novos conhecimentos às turmas”, disse.

Já a professora da EM Paulo Freire, Roseni Egidio, que levou 16 alunos com necessidades especiais destacou que esse tipo de ação traz conhecimentos voltados à autonomia. “Alguns dos nossos alunos andam sozinhos na rua, vão para a escola, e saber onde atravessar, como se comportar no trânsito, é um conhecimento muito importante porque dá a eles maior independência nas suas tarefas. Já aqueles mais impossibilitados tornam-se agentes multiplicadores no desenvolvimento de suas tarefas”, disse.

Elizabete Amorim, coordenadora de Bem-estar Animal, que participou da ação propondo às crianças que fizessem desenhos sobre como entendiam a participação dos animais no trânsito. “Explicamos a importância de utilizar guia para passear com os animais, de ficar atento aos animais que podem se soltar, por exemplo. Estamos tratando esse de forma lúdica e acreditamos que haverá grandes resultados a longo prazo”, destacou.

Este ano, o Maio Amarelo tem foco nas crianças. Com o mote “No Trânsito, o sentido é a vida”, a assinatura #MeOuça nas peças da campanha tem o viés voltado à reflexão dos adultos frente aos conselhos dado pelas crianças. O tema escolhido propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações e uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo a todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais seguro.

É um trabalho de formiguinha, mas que começa com os pequenos. Eles serão fundamentais na cobrança de suas famílias sobre a postura no trânsito. Impactamos mais de 4 mil crianças com as ações neste mês e estamos trabalhando para atuar ao longo dos próximos 11 meses com este tema”, destaca a chefe do setor de educação da CPTrans, Márcia Pereira.

Fonte: ASCOM PETRÓPOLIS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Leave a Comment