BW Press / Paulo Lopes / BW Press

Regina Duarte e TV Globo encerram contrato e atriz diz: ‘É como deixar a casa paterna’ Os termos da saída foram feitos em comum acordo.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

TV Globo encerrou sua relação contratual de mais de 50 anos com a atriz Regina Duarte. Através de um comunicado divulgado nesta sexta-feira, a emissora informou que a iniciativa deve-se à decisão da artista de assumir a Secretaria Especial de Cultura do governo de Jair Bolsonaro. Os termos da saída foram feitos em comum acordo.

— Deixar a TV Globo é como deixar a casa paterna. Aqui recebi carinho, ensinamentos e tive a oportunidade de interpretar personagens extraordinárias, reveladoras do DNA da mulher brasileira. Por mais de cinquenta anos sinto que pude viver, com a grande maioria do povo brasileiro, um caso de amor que, agora sei, é para sempre — declarou a atriz.

Regina ainda expressou eterna gratidão à emissora e pediu, no comunicado emitido nesta sexta-feira, dia 28, ”que Deus a ilumine na Secretaria para honrar seus aprendizados em benefício das Artes”:

— Não existem palavras para expressar o tamanho da minha gratidão. Que Deus me ilumine para que eu possa agora, na Secretaria Especial de Cultura do Governo Bolsonaro, honrar meus aprendizados em benefício das Artes e das Expressões Culturais da população do meu país”, declara Regina Duarte.

Trajetória de Regina na Globo

Regina Duarte estreou na Globo em 1969, na novela “Véu de Noiva”. Desde então, a atriz deu vida a papéis marcantes da teledramaturgia brasileira, como a artista plástica Simone em “Selva de Pedra” (1972). Por conta de suas personagens, Regina Duarte ganhou o apelido de ‘Namoradinha do Brasil’ e também viveu o ícone da emancipação feminina do fim dos anos 70, com a protagonista de Malu Mulher (1979).

A atriz também viveu as confusões da espalhafatosa Viúva Porcina com o fazendeiro Sinhozinho Malta (”Tô certo ou tô errado?!”), interpretado por Lima Duarte em “Roque Santeiro” (1985) , um dos maiores sucessos de audiência da casa.

Outra atuação marcante de Regina foi Rachel Acioly de “Vale Tudo” (1988). A atriz conquistou também, por três vezes , o papel mais emblemático da obra de Manoel Carlos. Regina foi Helena em “História de Amor” (1995); “Por Amor” (1997); e “Páginas da Vida” (2006). Em “Chiquinha Gonzaga”, de 1999, interpretou, com a filha Gabriela Duarte, a grande musicista brasileira. Ao todo, Regina fez 31 novelas, oito casos especiais e centenas de episódios em séries e minisséries na Globo.

Fonte: Extra

Crédito da foto: BW Press / Paulo Lopes / BW Press

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Ex-vereador Jairinho vira réu por crime de estupro de ex-namorada

De acordo com a denúncia, o ex-vereador é denunciado pelos crimes de estupro, lesão leve, lesão grave, vias de fato e lesão na modalidade de danos à saúde emocional cometidos contra uma ex-namorada durante o período em que se relacionavam, entre os anos de 2014 e 2020.

Comentários estão fechados.