Reestreia do Coral Municipal emociona o público Totalmente reestruturado, com novo maestro e novos cantores, o grupo pretende voltar a figurar entre os principais coros de câmara do país

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Com as atividades paralisadas desde o segundo semestre do ano passado, o Coral Municipal de Petrópolis retornou aos palcos na noite desta segunda-feira (18.12), em uma apresentação especial no Theatro D. Pedro, dentro da programação do Natal Imperial. Totalmente renovado, com novo maestro e 24 novos cantores, o grupo espera que este seja o primeiro espetáculo de uma trajetória de sucesso, como foi no passado. Antes de o concerto começar, o prefeito Bernardo Rossi, que prestigiou o evento, anunciou outra boa notícia para a cidade: o início das obras de reforma e restauração do Theatro D. Pedro, em 2018, que, entre as melhorias, também vai proporcionar uma sala exclusiva para os ensaios do coro.

Formado entre novembro e dezembro deste ano, o novo coral fez apenas três ensaios antes da estreia, mas mostrou que tem potencial para voltar a figurar entre os principais coros de câmara do país. Com a regência de Marco Aurélio Lischt, um dos principais nomes do segmento em Petrópolis, o grupo apresentou um repertório que contou, principalmente, com música sacra. O programa, especial de Natal, emocionou a plateia, que não cansou de aplaudir a cada música executada. A nova formação do grupo vem para resgatar uma tradição de 41 anos de história do Coral Municipal de Petrópolis.

“No ano passado, quando sonhávamos com a cidade, com o Natal, sonhávamos também com a volta do Coral Municipal. E conseguimos isso logo no primeiro ano de governo. Petrópolis tem uma tradição no Canto Coral, com mais de 100 corais, então não podíamos deixar de resgatar essa história”, explica Bernardo Rossi, lembrando que a volta do coro é ainda mais especial dentro da programação do Natal Imperial. “Já estamos colocando Petrópolis, com a ajuda de toda nossa equipe, no patamar que ela merece. Tornamos esse Natal maravilhoso, com a cidade lotada”, completa ele.

Com mais de cinco mil vozes, Petrópolis consolida sua tradição do Canto Coral na programação da festa, com apresentações de cerca de 70 coros. O ponto alto do segmento ficou por conta da tão esperada reestreia do Coral Municipal, único corpo artístico da cidade. Fundado em maio de 1976, o coro pertence ao município e está vinculado ao Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE).

“Desde o dia em que fomos convidados a assumir a pasta da Cultura, o que mais nos inquietava e ao mesmo tempo nos motivava era o desafio de enfrentar um cenário de tantas coisas, assumir uma secretaria falida, equipamentos sucateados, servidores desmotivados. E nosso único corpo artístico da cidade paralisado, verdadeiramente sem voz. Uma trajetória de 41 anos de muitas glórias escorregava entre os dedos da gestão pública. Ao assumir a pasta, nosso compromisso era e continua sendo garantir a longevidade e a excelência. O que é público e bom precisa ser reconhecido e valorizado”, explica o diretor-presidente do IMCE, Leonardo Randolfo.

Este ano, após um longo período de estudo de viabilidade, foi criado o novo Coral Municipal, com profissionais justamente remunerados. O coro conta com 24 cantores, contratados por meio de um criterioso e complexo processo seletivo, um inspetor de disciplina e arquivista, para garantir o eficiente funcionamento das atividades, um pianista, um regente assistente, além, claro, de um regente titular e diretor artístico, que também foi escolhido após um disputado concurso, que contou com prova técnica e prática.

Theatro D. Pedro será fechado este mês para reforma

Após as obras do Theatro D. Pedro, o Coral Municipal de Petrópolis terá uma sala de ensaio no prédio, que também servirá para outros grupos musicais que venham a ser criados pelo município. Com verba de R$ 2,5 milhões, garantidas por emenda parlamentar, o teatro vai passar por restauração no prédio principal e reformas no anexo. As últimas apresentações acontecem nos próximos dias e, em janeiro, o teatro já estará fechado para as intervenções, que serão elaborados pela empresa GM&B Arquitetura e Construção Ltda – ME, vencedora da licitação realizada junho deste ano.

Além da revitalização do prédio e infraestrutura, a reforma prevê também a reestruturação no anexo já existente de salas para atividades culturais. Está prevista ainda a construção de uma sala de dança multifuncional que servirá para corpos artísticos diversos e futuros projetos.

 Com 84 anos, o Theatro D. Pedro é o principal espaço cultural da Cidade Imperial e já recebeu grandes nomes em seu auge, como Alda Garrido, Cacilda Becker, Procópio Ferreira e Bibi Ferreira, Noel Rosa, entre tantos outros. Nos últimos dez anos, o palco recebeu mais de 1.200 espetáculos de dança, música, teatro e diversas manifestações culturais, alguns do circuito nacional.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

1 comentário
  1. Carlos Eduardo Völker Fecher Diz

    Inspetor de disciplina????

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.