Às vésperas do Dia do Motociclista, comemorado nesta sexta-feira (27.07), a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) faz um alerta para os altos índices de acidentes envolvendo esse público: das 1.589 vítimas de acidentes de trânsito registrados em 2017, 49%, ou seja, 779, eram motociclistas. O dado faz parte da prévia do anuário estatístico de acidentes de trânsito, que no ano passado teve 1.776 registros de sinistros, sendo 730 deles envolvendo motociclista.

Os dados vão ao encontro do crescimento expressivo deste tipo de veículo na cidade: em 2007 a cidade contava com 11.988 veículos do tipo registrado pelo Departamento de Trânsito (Detran). Em 2017 este número mais que dobrou, com 24.583, um acréscimo de 105%. A frota de todo o município em 10 anos cresceu 56,65%. Hoje, a cidade conta com 168.895 veículos emplacados, uma média superior a 1,5 carro para cada 3 pessoas. Há 10 anos, esse número era de 110.267.

A CPTrans tem realizado a sinalização para estimulo de redução de velocidade em pontos do município cujo o número de acidentes é considerado alto como Washington Luiz e a Barão do Rio Branco, por exemplo. No entanto, a melhor forma de prevenir qualquer situação de perigo é a prevenção.

“É importante que os motociclistas tenham atenção, mas que os motoristas também tenham consciência e respeito às pessoas que estão pilotando. É urgente que haja uma mudança de comportamento e que essas estatísticas sejam diminuídas”, destacou o diretor técnico e operacional da CPTrans, Luciano Moreira.

A CPTrans destaca alguns cuidados importantes aos motociclistas na hora da pilotagem
– Não ultrapasse nas curvas – essa atitude limita a visibilidade dos veículos que transitam pela pista oposta. O ideal é esperar por um trecho de retas.
– Cuidado com o ponto cego – não circule próximo a carros ou caminhões, pois você poderá estar em um ponto cego de algum veículo e pode ser atingido e provocar acidentes.
– Não transite em paralelo a outras motociclistas – em caso de uma situação perigosa, como esquivar de um carro ou algum obstáculo no caminho, não haverá espaço suficiente para manobrar, comprometendo a sua segurança e a do outro motociclista.
– Mantenha-se sempre visível – é recomendável a utilização de roupas com detalhes reflexivos, além de indicado o uso de farol ligado para ajudar a manter o veículo ao alcance do campo de visão de outros motoristas.
– Não transite entre outros veículos – para as motos, a visibilidade é um ponto mais crítico do que para os automóveis, devido as dimensões de cada um dos veículos. Por isso, é importante que o motociclista seja sempre visto.
– Fique atento aos obstáculos no caminho – lixo, entulho, árvores caídas ou buracos podem intensificar o risco de um acidente em cadeia. Por isso é importante se manter atento ao caminho e detectar qualquer irregularidade na pista.
– Use o capacete e equipamentos de segurança – é crucial o uso de capacetes e dos demais equipamentos de segurança. Em um eventual acidente, a utilização desse material pode ser determinante para garantir a vida do motociclista.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Reprodução da internet