No primeiro dia de aplicação da Prova Petrópolis, ocorrido nessa sexta-feira (23.03), 2.858 alunos do 2º ano do ensino fundamental participaram da avaliação que tem como objetivo estabelecer estratégicas pedagógicas por meio do levantamento de dados sobre o ensino das escolas municipais. A prova também será aplicada para os alunos dos 4º e 8º anos do ensino fundamental e para os que estão matriculados no 2º ano do ensino médio amanhã (24.03), sábado letivo.

Ao todo, 9.627 alunos deverão participar da avaliação que é formada por questões nas áreas de língua portuguesa e matemática. A intenção é a de aferir o domínio das competências e das habilidades básicas previstas para cada ano de escolaridade a partir da Matriz de Referência do Sistema de Avaliação da Educação Básica – SAEB.

A secretária de Educação Interina, Samea Ázara, conversou com os alunos do 2º ano do ensino fundamental da EM Augusto Pugnaloni antes da aplicação da prova. “A partir dessa avaliação poderemos traçar metas e projetos educacionais diferenciados para a escola. A participação de todos é muito importante e a Secretaria de Educação está muito feliz com a parceria das diretoras das unidades escolares”, disse.

A diretora da EM Augusto Pugnaloni disse que os alunos ficaram animados com a avaliação. “Eles gostaram da ideia. Acho muito importante essa prova, que nos dá a oportunidade de verificar e prever ações pedagógicas que podem ser colocadas em pratica no ambiente escolar”, contou.

Vale destacar que a aplicação de instrumentos de avaliação que permitam o diagnóstico e a intervenção apropriada na realidade educacional, no que diz respeito à redução das desigualdades existentes, bem como à correção de distorções está prevista Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394/96. A prova foi criada em 2011, no entanto, não houve registro de aplicação da prova nos anos de 2013 e 2015. Após estudos realizados em 2017, a Secretaria de Educação identificou a necessidade do retorno da avaliação.

A intenção da Secretaria de Educação é de que a Prova Petrópolis volte a ser aplicada a cada dois anos, sempre no ano anterior ao de realização da Prova Brasil, exame que compõe o Sistema de Avaliação da Educação Básica. Ainda de acordo com a Secretaria de Educação, os resultados não serão divulgados. “Vale destacar que não será feito ranking das escolas. Não é esse o objetivo. Cada escola terá em mãos o seu resultado e isso não será divulgado. As provas serão recolhidas e será feito um estudo pela equipe técnica da Secretaria de Educação. Os dados permitirão enxergar o alcance nessas áreas e as escolas serão provocadas a constituir um plano de trabalho direcionado aos seus alunos, respeitando as particularidades de cada um deles”, disse.

Após a entrega dos resultados pelas unidades escolares, a Secretaria de Educação, por meio do Grupo de Trabalho da Prova Petrópolis, analisará os dados obtidos na compilação apresentada pelos coordenadores responsáveis pela aplicação da prova nas Unidades Escolares. Os resultados serão apresentados pela Secretaria de Educação a cada unidade escolar e deverão ser utilizados exclusivamente como subsídio para o trabalho pedagógico e reorientação das ações para a melhoria do ensino. A Secretaria de Educação fará um relatório final com os resultados gerais da avaliação e dados de desempenho das escolas da Rede. Os resultados serão compartilhados apenas com cada equipe gestora das unidades escolares.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Divulgação / Ascom PMP