Pontuais, dificilmente os idosos do Coral Pró Tempore faltam a algum dos dois ensaios semanais, que são, segundo eles, a alegria do dia de cada um. O projeto é mantido pelo Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE) e faz parte das ações da pasta de fomento à cultura voltadas para o público da terceira idade. Além do Pró Tempore, o instituto também promove atividades físicas e é parceiro de projetos como o Baile da Feliz Idade, e ainda das Serenatas – uma realizada no Palácio de Cristal e outra itinerante – que costumam ser frequentadas pelos idosos. O objetivo é fazer com que toda a população, de crianças aos mais experientes, seja beneficiada com os projetos culturais do município.

“Posso até me atrasar, mas nunca falto a um ensaio do coral. É a minha vida, minha alegria. Na minha idade, poder ter uma oportunidade como essa, é fantástico. Fico até sem palavras para descrever o coral, porque ele é tudo pra mim”, explica a aposentada Thereza Ramos dos Santos, de 79 anos, que faz parte do Pró Tempore.

Não é de hoje que se foi o tempo que envelhecer era sinônimo de ficar em casa, fazendo crochê e cuidado dos netos. Hoje, eles têm uma vida independente, um calendário de atividades e viagens. Com o Pró Tempore, por exemplo, os coralistas viajaram pela primeira vez com o grupo este ano, para a participação no 9° Canta Del-Rei, festival nacional de corais, na cidade de São João Del-Rei, em Minas Gerais. A participação intensa no Festival Internacional de Corais de Petrópolis também esteve entre os destaques do ano para a turma.

Essa e outras atividades voltadas para os idosos, promovidas pela prefeitura, vão muito além de fomentar a cultura. É importante, sim, para o fortalecimento dos segmentos culturais, mas através de projetos como esse o público da terceira idade tem benefícios muito maiores. É uma forma de trazer de volta essas pessoas pra sociedade, porque muitos acabam ficando em casa. “Só o fato deles se deslocarem de casa para os ensaios, por exemplo, já cria uma expectativa, uma energia positiva. Eles começam a perceber que sair de casa não é tão enfadonho”, destaca o maestro do coral, Paulo Afonso.

Duas vezes na semana, por duas horas, o grupo se dedica apenas a aprender o canto coral. Os ensaios acontecem as segundas e quartas-feiras na Sala Guiomar Novaes, no Centro de Cultura Raul de Leoni. Mas os encontros vão muito além, resgatando a auto-estima dos integrantes e dando uma nova visão de vida.

“Quando eu bati pela primeira vez naquela porta, estava em depressão. Eu tinha acabado de chegar a Petrópolis e não conhecia ninguém. Ali eu encontrei uma família, amigos, me curei. O maestro me recebeu muito bem fez com que eu me sentisse acolhida. Eu não saia de casa, não ria. Hoje sou outra pessoa”, frisa Rosemeire Severino Alves, que também faz parte do coro.

Atividades culturais constantes

O município também patrocina o Baile da Feliz Idade, projeto que acontece mensalmente em clubes da cidade, reunindo idosos, inclusive recebendo caravanas de outras cidades. O Baile ainda conta com  edições especiais festivas, como foi o caso da edição Bauernfest. Em agosto, o baile completou 22 anos. A cada edição, o evento recebe uma apresentação musical diferente e atividades voltadas para os idosos.

Outros projetos culturais da cidade são direcionados ao público da terceira idade, como as serenatas, que já se tornaram uma tradição em Petrópolis. No projeto Petrópolis em Serenata, seresteiros se reúnem mensalmente e a cada mês percorrem ruas de um bairro, comunidade ou distrito da cidade, sempre homenageando nomes que têm relação com o estilo apresentado por eles ou com a localidade. É um projeto itinerante que nasceu em 2001. Já o Serenata Imperial encanta o público uma vez por mês no Palácio de Cristal. No projeto, os visitantes são recebidos com um livreto com todas as canções que serão apresentadas durante a noite para que as pessoas acompanhem e cantem junto com os músicos. O grupo conta com 15 integrantes, entre músicos, seresteiros e seresteiras. A entrada é gratuita.

Além disso, o IMCE também atende regularmente cerca de 5 mil idosos, através da Superintendência de Esportes e Lazer, com atividades físicas gratuitas nas comunidades. São aulas de ginástica, alongamento, hidroginástica, natação, ginástica localizada, dança e dança de salão. Os interessados em participar devem procurar a sede da Superintendência , que fica no Centro de Cultura Raul de Leoni, na Praça Visconde de Mauá, no Centro ou fazer contato com a unidade pelo telefone: 2233-1218.