Pedro França/Agência Senado

Projeto proíbe inclusão de consumidor em promoções de bancos sem autorização

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) deve votar na terça-feira (9) um projeto de lei que criminaliza o ato de inscrever o consumidor sem seu consentimento em programa promocional realizado por instituição financeira. O PLS 33/2017, da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), prevê a nulidade de débitos lançados por produtos e serviços que o consumidor não tenha autorizado expressamente.

Rose destaca que, muitas vezes, esses programas geram débitos ao consumidor, que pode não ter tido a oportunidade de manifestar sua vontade nem de refletir acerca das vantagens e desvantagens da adesão. “A criminalização da conduta, a nosso ver, será importante instrumento para a coibição dessa prática que causa prejuízos econômicos ao consumidor, de modo que a pena para esse crime será de detenção de um a seis meses ou multa”, ressalta a autora.

No entanto, o relator, Carlos Viana (PSD-MG), ponderou que o direito penal deve ser aplicado apenas como solução extrema, quando outros ramos do ordenamento jurídico não forem suficientes para resolver a situação.

Viana apresentou substitutivo ao projeto, retirando a criminalização da prática e classificando-a como comportamento abusivo. Se aprovado, o PLS será submetido a turno suplementar de votação na CTFC, por ter sido alterado por substitutivo. Depois seguirá para a Câmara dos Deputados, caso não haja recurso para votação pelo Plenário.

Requerimentos

A CTFC também votará uma série de requerimentos: de avaliação da política de desarmamento no Brasil, a pedido do senador Humberto Costa (PT-PE); de auditoria no Fundo Amazônia, a pedido do senador Marcio Bittar (MDB-AC); de convocação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, para esclarecimento de denúncias, a pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP); e de audiências públicas para debater a inflação dos planos de saúde e para instrução de projeto do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) que busca aumentar a proteção ao cliente na compra de produtos ou serviços (PLS 175/2015).

Fonte: Agência Senado

Crédito da foto: Pedro França/Agência Senado

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.