Projeto Aquaponia vai levar às escolas a criação de peixes Objetivo é promover a cidadania e sustentabilidade no ambiente escolar

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

As escolas municipais Liceu Municipal Carlos Chagas, Amélia Antunes Rabello e Johann Noel serão as primeiras a receber o projeto “Aquaponia” que consiste na produção de peixes – em tanques – associada à produção de hortaliças. A iniciativa, dos Clubes Rotary Petrópolis Bingen, Itaipava e do Projeto Água, em parceria com a Prefeitura, têm como objetivo promover a educação ambiental e incentivar a sustentabilidade entre os alunos através de oficinas, workshops e o acompanhamento da produção dos peixes e hortaliças nas escolas.

O projeto, chamado “Aquaponia: Cidadania e Sustentabilidade no ambiente escolar” foi lançado na terça-feira (18.08) na Casa da Educação Visconde de Mauá. Ainda nesse ano começará a instalação nas três escolas do sistema que reutilização de águas pluviais. O projeto receberá recurso de R$ 500 mil proveniente do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal. A intenção é de que, no próximo ano, o projeto seja implantado em outras cinco escolas: São João Batista, Dr. Barros Franco, Augusto Pugnaloni, Professora Maria Campos e Santa Maria Goretti.

“Agradecemos ao município pela parceria. A sociedade civil está cada vez mais engajada em auxiliar o desenvolvimento de políticas públicas e ações em prol da comunidade e esse é um dos nossos objetivos. Esse é só o começo. Temos a intenção de estabelecer cada vez mais parcerias que possam contribuir para a formação dos alunos”, explicou o presidente do Rotary Petrópolis Bingen, Byron Mendes.

Nas escolas serão implantados tanques para a produção de peixes e hortaliças. A água de drenagem do cultivo dos peixes, que é rica em matéria orgânica e geralmente descartada na natureza, será reaproveitada no sistema de aquaponia, servindo de solução para o cultivo hidropônico de hortaliças.

“A água rica em matéria orgânica que sai do tanque dos peixes, passa pelo canal hidropônico e os nutrientes contidos na água acabam funcionando como fortalecedores para o metabolismo/crescimento das hortaliças. Como contrapartida, a água sai do tanque da hidropônica limpa e retorna em boas condições aos peixes. Um sistema de captação de energia solar será o responsável pelo funcionamento da bomba. O peixe que será cultivado é a tilápia”, disse a presidente do Rotary Petrópolis Itaipava, Sueli Karl.

O projeto implantará todo o sistema e fornecerá uma equipe multidisciplinar – com pedagogos, educadores ambientais e biólogos – que serão responsáveis pelas oficinas e workshops realizados com os alunos e servidores das escolas.

“Toda ação que reforce a educação ambiental no ambiente escolar é válida. Temos uma rede extensa e os alunos são multiplicadores de conhecimento, ou seja, eles transmitirão tudo o que aprenderem para as famílias e comunidade, chamando a atenção para a importância da sustentabilidade. A cada dia, o envolvimento dos alunos em atividades tecnológicas aumenta e, isso é uma preocupação dos educadores. As experiências práticas chamam a atenção dos alunos. Eles adoram e temos certeza que será um projeto de sucesso”, disse a secretária de Educação, Samea Ázara.

A preservação dos recursos hídricos é um dos motivadores do projeto. “No mundo, apenas 1% dos recursos hídricos estão disponíveis para o consumo e é necessário que a população preste atenção nisso”, disse a bióloga do projeto Água, Natália Papoula.

O diretor do Liceu Carlos Chagas, Marcos Souza Machado, afirmou que o projeto auxiliará nas ações multidisciplinares. “Os professores poderão usar todo o projeto como exemplo para atividades diferenciadas como matemática, ciências e biologia. Acredito que os alunos ficarão muito animados com a novidade”.

Também participaram do evento o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica, Dalmir Caetano, a responsável pelo Projeto Água, Silvia Firmeza, o representante da Caixa Econômica, Petrônio Garcia, o responsável pelo setor de educação ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Anderson Maverick e o governador do Rotary Clube, Henrique Sampaio.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.