Foto: Reprodução/Junior Achievement

Programa Trilha Empreendedora passa a integrar a grade curricular de 80 escolas estaduais do Rio até 2026

Desenvolvido pela ONG Junior Achievement RJ, em parceria com a iniciativa privada e pública, o projeto oferece capacitação sobre empreendedorismo, gestão e finanças durante o ensino médio.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Junior Achievement RJ, uma ONG de educação empreendedora para jovens, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) e a Fundação Casas Bahia, (expressão social do ecossistema da Via) lança a 5ª edição do programa Trilha Empreendedora, que oferece acesso à educação empreendedora durante o ensino médio para alunos de 80 escolas da rede pública no Rio de Janeiro. As aulas passam a integrar a grade curricular escolar e há mentorias com profissionais das empresas parcerias que atuam como voluntários. Todos os encontros serão realizados de forma digital e os conteúdos ficarão disponíveis no Classroom e no Aplique-se — aplicativo da Seeduc que não consome dados de internet — a fim de democratizar o acesso aos jovens participantes do projeto.

As atividades começam oficialmente no dia 11 de maio, com o objetivo de preparar os estudantes para saírem do ensino médio com uma melhor qualificação para ingressar no mercado de trabalho com conhecimentos técnicos e habilidades socioemocionais importantes no mundo dos negócios. As aulas são ministradas por voluntários das empresas parceiras e irão abordar vivências e experiências do mundo corporativo. Desde 2017, a Trilha já beneficiou mais de 10 mil estudantes de escolas públicas do estado Rio de Janeiro com conteúdos voltados ao empreendedorismo, educação financeira e preparação para o mercado de trabalho, através da aplicação dos programas: As Vantagens de Permanecer na Escola; Ética; Economia Pessoal; Empresa em Ação; Meu Dinheiro, Meu Negócio; Habilidades para o Sucesso; Gestão de Projetos e carreiras de alto crescimento no futuro. Somando nove programas aplicados ao longo dos três anos do ensino médio.

De acordo com Graziella Castilho, presidente da Junior Achievement RJ, essa é uma ação benéfica para todos os envolvidos: para a ONG, que conta com o apoio de profissionais do mercado de trabalho, para as empresas que geram um engajamento das equipes por meio do voluntariado corporativo, e especialmente para os alunos, que podem iniciar sua rede de relacionamento com os profissionais já atuantes no mercado. Somente em 2020, 14 ex-alunos da Trilha Empreendedora foram contratados por uma empresa parceira do projeto, esse é um dado que expressa o quanto essa relação do jovem com os profissionais pode ser decisiva para uma contratação por uma empresa que já o conhece e sabe de sua capacidade profissional por meio das atividades desenvolvidas ao longo do projeto. “Consideramos a iniciativa também como uma oportunidade de gerar emprego para o jovem, fator que contribui para o aumento na retenção dos alunos matriculados nas escolas para assim evitar o aumento no índice de abandono escolar porque o aluno desperta maior interesse pelo aprendizado a partir do relacionamento com o voluntário das empresas e pela possibilidade de conseguir se destacar nas entrevistas por ter um currículo enriquecido” Explica Graziella Castilho.

Este ano a Trilha Empreendedora conquistou uma parceria mais que especial com a Seeduc que garante que o projeto integre a grade curricular de mais de 80 escolas do Rio pelos próximos cinco anos, isso faz com que o conteúdo se torne obrigatório para a aprovação dos alunos, além de contribuir ainda como um incentivo a diminuição da taxa de abandono escolar, já que as aulas didáticas seguem uma metodologia ativa, engajando os estudantes e agregando benefícios de maior interesse para a formação dos jovens.

A parceria com a iniciativa privada traz o voluntariado corporativo como um dos pilares mais importantes para o projeto.  Mais de 200 especialistas do setor de petróleo e gás, no Brasil e até no exterior, de 17 empresas associadas ao IBP, se mobilizarão, semanalmente, para compartilhar experiências pessoais e profissionais com ações de mentoria digital.

O objetivo é gerar um ambiente de construção colaborativa, com espaço para interação, desafios e exercícios, além de esclarecimento de dúvidas sobre o cotidiano em empresas e as oportunidades de profissões que existem nessa indústria.

“Apoiaremos estes jovens, entre 15 e 17 anos, para que possam definir suas prioridades profissionais e planejar seu futuro. A indústria de petróleo e gás brasileira tem um compromisso com a construção de lideranças corporativas, com uma mentalidade alinhada com o desenvolvimento de suas competências e potencialidades”, analisa Carlos Victal, gerente de sustentabilidade do IBP.

Para Hélio Muniz, diretor-presidente da Fundação Casas Bahia, a parceria nessa e em outras iniciativas da Junior Achievement RJ, reforçam o compromisso da entidade com projetos que impulsionem o desenvolvimento profissional e pessoal de jovens. “A Trilha Empreendedora possibilita uma troca de experiências riquíssima para os alunos participantes do programa e os colaboradores voluntários da Via, a partir do compartilhamento de vivências dentro do mercado de trabalho. Ao todo, já temos mais de 40 colaboradores envolvidos na ação”, afirma Muniz.

De acordo com Rafael Siqueira, colaborador voluntário da Via nos módulos de Economia Pessoal e Vantagens de Permanecer na Escola, essa foi uma oportunidade de contribuir com sua experiência na educação profissional dos jovens participantes. “Eu acredito que todos precisam se envolver em iniciativas sociais e ambientais. Estou retribuindo a esses alunos a experiência que eu tive. Quando você começa a ser mais solicito, entende mais as outras pessoas, começa a ver os problemas sociais de outra forma. Fico muito feliz em saber que a Via Varejo e a Fundação Casas Bahia apoiam uma instituição como a JA e, mais ainda, por ter a oportunidade de ser um multiplicador desse testemunho”, completa Siqueira. Ao todo, a Trilha conta com o apoio de 21 empresas, como Aker Solutions, Baker Hughes, BP Energy, BR Distribuidora, Enauta, Equinor, Petrogal Brasil, Ipiranga, Michelin, Petrobras, Repsol Sinopec Brasil, SBM Offshore, Shell, Subsea 7, Supergasbras, TechnipFMC, Total, Wilson Sons, além do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), da Fundação Casas Bahia e da Seeduc.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.