Pesquisar. Essa é orientação do Procon Petrópolis na hora da compra do material escolar. Um levantamento realizado pelo órgão aponta diferença de até 75% entre papelarias na compra de em um mesmo produto. Na última semana, uma equipe do órgão de defesa do consumidor foi às ruas em busca de melhores valores e realizou a pesquisa em quatro papelarias do Centro Histórico. Quem optar pela pesquisa pode economizar até 33,61%, em uma lista de material escolar básica.

A equipe pesquisou os preços de 12 itens, entre quarta (12.01) e sexta (05): borracha, caderno de uma e 10 matérias, corretivo, resma de papel de 100 e 500 folhas, apontador, tesoura, caneta azul, lápis de cor, lápis e canetinhas. Para se ter uma ideia da diferença de preços, enquanto em uma papelaria um kit com quatro lápis pretos custa R$ 1, em uma outra, esse valor chegava a R$ 4. Uma tesoura sem ponta da marca Mundial foi encontrada por R$ 3,60 em uma papelaria e, em outra mais cara, R$ 6,90 – uma diferença de 47,8% nos produtos.

“Diante dessa variação, vale o alerta: os consumidores devem planejar bem as suas compras e fazer uma pesquisa de preços em locais diferente para economizar nesse começo de ano. Quem quiser comprar todos os produtos no mesmo local também deve pesquisar, porque a diferença encontrada entre um estabelecimento e outro, em uma lista de material escolar básica, é 12,85%. Outra dica é a compra por quantidade, que, muitas vezes, assegura preços ainda mais em conta. Por isso, é bacana que as famílias se reúnem para fazer as compras”, orienta o coordenador do órgão, Bernardo Sabrá.

Com relação a lista de materiais elaborada pelas escolas, o Procon alerta que as instituições de ensino não podem incluir itens de uso coletivo como produtos de limpeza, higiene e objetos de uso profissional. Entre os itens que não são obrigatórios, mas que comumente entra nas listas estão: álcool em gel, canetas para quadro branco e quadro magnético, descartáveis como copos, pratos e talheres, giz, grampeador, grampos, lã, marcador para retroprojetor, medicamente ou materiais de primeiros socorros, material de limpeza, papel higiênico, pasta de dentes, fita dupla face, tinta e tonner para impressoras.

Outros podem ser solicitados, desde com restrições e para uso pedagógico, como: algodão, cartolina, CD, envelopes, feltro, gliter, lã, lixa, massa de modelar, palito de picolé e TNT, por exemplo.

Quem quiser tirar alguma dúvida ou denunciar alguma prática abusiva pode contatar o Procon pela página do órgão no Facebook, o Procon Petrópolis; pelo site www.petropolis.rj.gov.br/procon. Há, ainda, o WhatsApp Denúncia, no número 98857-5837 ou os telefones 2246-8469 / 8470 / 8471 / 8472 / 8473 / 8474 / 8475 / 8476 e 8477. Atendimento presencial pode ser realizado na unidade do Centro, que fica na Rua Moreira da Fonseca, nº 33. A unidade de Itaipava localizada no Centro de Cidadania, que fica na Estrada União e Indústria, 11.860. Os telefones da unidade são: 2222-1418, 2222-7448 e 2222-7337.