Foi enterrado no fim da tarde desta segunda-feira, no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona oeste do Rio , o sargento da Polícia Militar Cristiano das Neves Souza, de 40 anos, morto no sábado em Bangu, também na Zona Oeste. Cerca de 200 pessoas, entre amigos, familiares e colegas de farda, acompanharam o sepultamento, marcado por forte comoção.

Muito emocionadas, a viúva e a mãe do policial precisaram ser amparadas em vários momentos.

Entre os presentes estava o coronel Márcio Rocha, comandante do 12º BPM (Niterói), onde Cristiano era lotado como motorista do oficial. Abalado, o coronel contou que trabalhou com o subordinado no sábado, horas antes do crime:

Ele amava o que fazia. Naquele mesmo dia havia falado que estava muito feliz. Era um excelente profissional e, pela convivência, acabamos tendo uma relação mais próxima de amizade. É mais um policial militar que tem a vida ceifada pela violência no estado.

Cristiano foi assassinado em um bar, em Bangu, pouco depois de deixar o futebol que disputava regularmente com amigos. Homens armados passaram de carro pela porta do estabelecimento e abriram fogo, supostamente após anunciar um assalto, matando Cristiano e outras duas pessoas.

O sargento é o primeiro PM morto no Rio após o anúncio da intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro.

— Esperamos que este investimento venha somar forças da união para conosco, de modo a reverter este quadro de violência no Rio — disse o coronel Rocha, pouco depois de carregar o caixão do comandado.

Fonte: Extra